Tecnologia e educação

“Quando não passei e passei na PUC eu demorei para perceber que, especialmente para Publicidade, o Mackenzie era a melhor escolha”, conta Vittoria Ferraz, representante do Apple Campus Rep da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Com 21 anos e cursando o sexto semestre, a estudante diz que a faculdade a escolheu. Desde a época do cursinho ela ainda não tinha muita certeza do seu curso, muito menos de suas habilidades. “Eu achava que se não entrasse na USP, nada serviria”, comenta a estudante que hoje não se vê em outra faculdade, além de achar que o Mackenzie é referência na área.

Uma de suas melhores experiências, sem considerar as pessoas que conheceu, foi participar do Mack Pro, antiga produtora de conteúdo audiovisual do setor de desenvolvimento acadêmico da universidade. Vittoria passou a entender quem era em um ambiente de trabalho e em horas de sufoco e frustração e que ela era capaz sim de lidar com isso. Além de ter se apaixonado pelo audiovisual, ela percebeu que poderia trabalhar ainda mais o seu diploma.

Antes de ingressar no ensino superior, Vittoria acreditava ser incapaz de fazer amigos, pois achava que ainda precisava se encontrar. Natural de Bragança Paulista, interior de São Paulo, ao vir morar em São Paulo, a estudante se permitiu viver e aproveitar mais as oportunidades que lhes eram ofertadas, sem se preocupar, imediatamente, com suas consequências.

A futura publicitária conta que seu intercâmbio foi sua maior aventura. “Foi um período em que eu aprendi sobre flexibilidade, aceitação e resiliência”, comenta. Nesse período de tempo, passou por quatro famílias diferentes, onde pode aprender e vivenciar muitos momentos. Infelizmente, perdeu sua formatura do ensino médio no Brasil, porém não se arrepende, já que um dos casais por quem passou, Martha e Michael Michalewich, viraram praticamente seus pais e ganhou uma amiga quase irmã, Dani Robbins.

Sua maior conquista foi seu primeiro emprego, sua atual vaga na Apple. Conta que viu a postagem sobre o processo seletivo no facebook e decidiu arriscar. Depois de começar a trabalhar com a Apple Education conheceu projetos maravilhosos de diversos lugares do planeta; pessoas que desenvolveram aplicativos que mudaram o dia-a-dia de comunidades inteiras. Existem aplicativos que ensinam mulheres a auxiliar em trabalhos de parto seguros, aplicativos que dão liberdade e independência a pessoas com deficiência visual, mudanças em acessibilidade nos próprios aparelhos que mudaram o cotidiano das pessoas… “Por enquanto eu não estou capacitada a desenvolver um app próprio (talvez eu consiga no futuro), mas o que eu posso fazer é participar desse processo, mostrar que nada é impossível”, conta Vittoria, ansiosa em poder fazer parte desse processo.

Sagitariana que sou, só saio de casa se for para causar! Escrever é uma das minhas paixões, que disputa o primeiro lugar com moda, memes e comida.