Saiba como se vestir para uma entrevista de emprego

Fazer uma entrevista de emprego requer uma preparação da pessoa que estará concorrendo a uma vaga, é preciso separar o currículo, treinar respostas para possíveis perguntas, conferir o lugar e horário da entrevista, programar de chegar mais cedo no local, preparar o look… Sim, você leu certo, montar o “look entrevista” faz parte da lista.

-Já leu nosso post sobre o Setembro Amarelo ?

Engana-se quem acha que não é algo tão importante. Segundo a  Profª. Drª. em Semiótica da Cultura, Denise Paiero, “O primeiro grande filtro, por mais que a gente não queira, em uma entrevista de emprego é pela aparência. Com a roupa podemos passar uma imagem de desleixo, de segurança, de jovialidade, conservadorismo… A roupa que escolhemos tem que representar aquilo que queremos para a empresa. Temos que pensar na imagem que queremos passar”. E claro, durante uma entrevista somos avaliados para saber se nosso perfil se encaixa ou não ao do local que desejamos trabalhar, e o que vestimos reflete nossa opinião.

Nessas horas uma pergunta vem à mente: “Mas o que eu tenho que vestir? ”, a resposta depende da pessoa. Afinal as roupas nos ajudam a formar a imagem daquilo que nós somos, como disse a Profª Drª Denise. Então, anota aí:

  • Para saber como se vestir é importante não perder sua essência, pois você precisa se sentir confortável no que está vestindo.
  • Lembre-se que as roupas são nosso cartão de visita, logo elas devem estar no mínimo limpas e bem passadas!
  • Algumas empresas possuem exigências sobre decotes, comprimento e até nas cores do look, então dê uma checada nisso antes.
  • Outras empresas não exigem trajes formais, mas preste atenção para não exagerar na informalidade e aparecer na entrevista de bermuda/shorts e camisetão.

Claro que essas dicas não servem só pro dia da entrevista do emprego! No dia a dia conta muito também. Conferir como o seu local de trabalho lida com essas questões de vestimentas é importante para não fazer feio e nem ser advertido.

Texto por Gabriela Cesário