Uma viagem de autoconhecimento

Fazer um intercâmbio é sem dúvida uma experiência que modifica as pessoas. Entrar em contato com outra cultura, aprender um novo idioma e sair da rotina estão entre as coisas que acontecem nesse período, mas, um novo conceito de intercâmbio pode propiciar ainda mais vantagens, o intercâmbio voluntário! Nós da Editoria Internacional já falamos um pouco sobre isso nesse post confira: http://redacao.mackenzie.br/viajar-fazendo-o-bem/

A Mackenzista Carolina Moreira que está no 2° semestre de Administração e Comércio Exterior fez parte do time de voluntários que integrou o projeto Synergy em Bogotá, Colômbia. Ela conta que lá trabalhou na área administrativa, atuou nas redes sociais da Fundação, o que foi um grande desafio já que não tinha muito conhecimento sobre Photoshop e Illustrator. 

 

                                                                                  

Diretores da Fundação que Carolina trabalhou.

  A aluna ainda conta que chegou lá sabendo pouquíssimo de Espanhol e voltou falando muito bem, conseguindo até realizar entrevistas no idioma!

Ao ser questionada sobre o impacto que essa experiência teve em sua vida ela diz: “Pode parecer um tanto clichê, mas pude perceber que a alegria, de fato, está nas pequenas coisas. De ver tantos homens, cada um com sua trajetória, história, e eles terem contato com jovens estrangeiros, parece que deixou uma expectativa de vida. A alegria da Assistência Social em ter a gente por lá (foi a primeira equipe da AIESEC trabalhando na ONG). A forma de gratidão que recebíamos em todo momento. Por diversas vezes me davam de presente balas, pirulitos…”

Na mesma fundação tinha o ProjectArte, no qual Carolina também atuou junto a outros intercambistas de El Salvador, nesse caso dando aula de português. Houveram apresentação de cada país (Brasil, México e El Salvador). E para representar o Brasil, a Mackenzista junto com os outros brasileiros levaram vários doces típicos do nosso país como brigadeiro, rapadura, paçoca, pé de moleque, doce de minas, etc.

Parte dos internos reunidos.

 

“O ProjectArte foi um pouco desafiante e impactante, não só pra mim, mas pra todos porque fomos pra Bogotá crentes que iríamos trabalhar em uma ONG de crianças. Mas nossa ONG era de homens de 14 a 60 anos  adictos (dependentes químicos) que estavam em processo de reabilitação. Então eles viviam lá.”

 

 

Foi uma viagem repleta de desafios mas que deixaram Carolina extremamente grata por tudo. Ela conta que um amigo colombiano disse uma frase que a marcou muito  “es necesario ir hacia el exterior para conocer el interior”- “É necessário ir para o exterior para conhecer o interior”.

A mudança que Carolina diz que mais sentiu foi em seu self-aware, ou seja, em sua autoconsciência. “Eu fui toda incerta das coisas. Comprei minha passagem faltando 20 dias, não tinha conseguido passar no estágio de férias que tinha prestado, fui super precipitada em umas outras decisões próxima a viagem… Mas percebi que não existe escolha certa ou errada. Todas nossas escolhas nos leva a amadurecimento é crescimento pessoal”.

Se você se interessou por esse tipo de intercâmbio, conheça esse e outros projetos acessando o site da AIESEC http://aiesec.org.br/

Luana Cunha de Figueiredo

Futura Jornalista apaixonada por girassóis e pelos pequenos detalhes da vida. Curiosa o suficiente para questionar e refletir sobre tudo a sua volta.