Um grão de areia nesse mar de gente

Fiquei encantada quando visitei o campus pela primeira vez” é o que diz a estudante do terceiro semestre de jornalismo, Nayara Nascimento,19 anos, que ainda afirma que escolheu o Mackenzie, pela influência de sua prima, que se formou em Direito pela universidade, e pela qualidade e estrutura que área de jornalismo tem.

A melhor experiência que teve no Mackenzie, segundo a estudante, foi quando ganhou um ponto pela melhor crônica na aula de narrativa, “O professor Modernell, é muito bom , e um errinho ele exclui seu texto. Eu fiquei super feliz naquele dia!”.

A extrovertida mackenzista diz que a desde que entrou na universidade, o que mais mudou foi sua escrita, que antes era mais sobre seus sentimentos e suas paixões, agora ela tenta abordar todos os temas e sem medo, “minha maior diferença é a questão da experiência de vida, além de sempre tentar inovar nas pautas, sempre tentando mostrar algo novo”.

Nayara diz que nunca sofreu nenhum preconceito explícito por ser negra, mas que as vezes ocorre algumas brincadeiras irritantes, como compara-lá com a apresentadora Maju. “Como eu sei que o intuito da pessoa é continuar falando se eu colocar minha opinião, digo que sou parecida com a Maju apenas pela vontade de fazer um bom jornalismo”.

A futura jornalista diz que em seu primeiro de aula da faculdade, ocorreram alguns olhares por ser a única negra de sua sala “Eu estava criando asas para mais um ciclo na minha vida, mas foi meio tenso quando cheguei com meu black power junto com meu estilo hippie arrumadinho, mas foi feliz aquele dia”.

O recado que ela queria deixar, para todos que sofreram algum tipo de preconceito. “Meu conselho é ignorar, fingir que não ouviu e mostrar o mais rápido possível em atitudes que todos somos iguais, e aos preconceituosos, só lamento, um dia passaram por algum perrengue também”.