Um dia sem sorrir é um dia desperdiçado

“Aprendi a respeitar o próximo e ver que todo mundo é igual”. Isabela Matias, paulista de 22 anos, está no 4 semestre de Engenharia Civil.

“Quando entrei na faculdade, sofri com alguns problemas de saúde, mas isso não me impediu de realizar meus sonhos”. Apesar da Mackenzista ser de exatas, já quis ser do exército e tem hobbies bem inusitados.

Além de ouvir músicas, dançar e compor canções, Isabela viveu experiências únicas depois de iniciar a faculdade, pois se vinculou a um projeto social de construção de casas.

“Quando comecei na TETO, percebi o quanto construir é o que amo fazer. Ajudar pessoas e renovar a esperança de famílias, e sim, isso é possível na engenharia”. 

Escrito por Victória Santos