Trestles é verde e amarelo!

Filipe Toledo e Silvana Lima garantiram a dobradinha brasileira inédita na etapa de Trestles do circuito mundial de surfe, na Califórnia, EUA, sexta-feira passada.

Na final masculina, Filipe derrotou o atual líder do ranking, Jordy Smith, com uma somatória de 15,67 pontos contra apenas 9,80 do sul-africano. Já na decisão feminina, Silvana deu um show e somou 17,60 pontos, enquanto sua adversária, Keely Andrew, estreante em finais no WCT, fez 10,93 pontos.

Mesmo antes do evento começar, Filipe Toledo já era apontado como um dos favoritos ao título. Seu estilo se encaixa perfeitamente com as ondas de Trestles, e o fato de estar morando naquela região o ajuda muito na leitura das ondas. Desde o início, Toledo se mostrou muito sólido e consistente durante os 30 minutos de cada bateria, com uma boa variação entre o surfe progressivo e aéreo.

Com esta vitória, ele ganha duas posições no ranking, ocupando agora a sétima colocação com 34.450 pontos, se torna o primeiro atleta a vencer dois eventos no ano e segue vivo na disputa do título mundial. Jordy Smith, que fez sua terceira final nos últimos quatro anos na Califórnia, continua na primeira colocação, com 45.850 pontos.

Da mesma maneira, Silvana Lima chegou ao triunfo com muita solidez e competência, sabendo exatamente o que tinha que fazer para avançar baterias. A cearense manteve a calma e o foco durante todo o evento, o que possibilitou seu avanço. Nos últimos anos essa tem sido sua maior dificuldade, e muitas vezes acabava perdendo para ela mesma. Mas felizmente dessa vez foi diferente.

Em sua trajetória, Silvana derrotou três vezes Stephanie Gilmore, hexacampeã mundial e um dos maiores ícones do surfe feminino, e fez as melhores notas e as maiores médias da etapa. Esse foi apenas o quarto título da veterana de 32 anos no WCT, e o primeiro desde 2010, quando venceu no Peru. Com a primeira colocação do evento, ela assume a décima terceira posição no ranking, com 23.600 pontos. Keely Andrew, a jovem promessa australiana, ocupa a décima primeira posição com 28.500 pontos.

Para Gabriel Sabatini, aluno de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Filipinho, como é conhecido, tem totais chances de conquistar o título mundial, afinal ainda faltam três etapas do circuito. “A disputa até o final do ano vai ser muito boa, estou ansioso para a próxima etapa que acontece na França, no próximo mês”, disse.

 

Texto por Gustavo Iglezias.

Paulistana, apaixonada por futebol e pelo Palmeiras desde pequena. Amante de Beatles e há 20 anos sendo a pessoa mais chorona do mundo.