Três escritores africanos da língua portuguesa

 

Como estamos no começo de um novo semestre, viajar pode não parecer uma boa ideia agora que as aulas acabaram de voltar. Então que tal viajar pra África através da literatura? Hoje, a editoria Internacional vai mostrar três autores africanos da língua portuguesa. Assim, da pra ler os livros no idioma do autor, o que sempre acaba deixando a leitura mais rica.

Pepetela

Pepetela é um autor angolano de ascendência portuguesa. Durante a Guerra Colonial, Pepetela lutou para a libertação da Angola e hoje seus livros são muito importantes para reflexão e divulgação dos problemas que seu país enfrenta.  O romance Mayombe retrata a Guerra Colonial contra as forças portuguesas e em 2016 se tornou leitura obrigatória para vestibulandos da Universidade de São Paulo.

 

Mia Couto

Mia é um escritor e biólogo moçambicano. Aqui ele é bem conhecido por seu trabalho e algumas pessoas pensam que Mia é na verdade uma mulher. Mia é um pseudônimo de Antonio Emílio, que era apaixonado por gatos e porque seu irmão mais novo não conseguia pronunciar seu verdadeiro nome. Ele é o autor moçambicano mais traduzido ao redor do mundo. Seus trabalhos incluem poesia, crônicas, contos e romance, além de também escrever para crianças.

Ondjaki

Ondjaki é um autor e sociólogo angolano que estudou em Lisboa e atualmente vive no Rio de Janeiro. O escritor possui suas obras traduzidas em diversos países e conquistou prêmios muito importantes da literatura. Em 2010 ele recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura na categoria juvenil pelo sensível e delicado livro AvóDezanove e o Segredo do Soviético. Já em 2013, Ondjaki conquistou o Prêmio Literário José Saramago por seu romance Os Transparentes. 

Luiza Lorenzetti
Amante das artes e da dura poesia concreta das esquinas de Sampa. Apaixonada por Caetano e purê de batata. 1,50m de amor e vegetarianismo.