The Walking Dead: Um sucesso morto-vivo

Série teve maior nível de audiência na televisão a cabo brasileira

Fim do mundo. Caos. Não existe mais Estado, segurança, escolas, hospitais, igrejas. Tudo foi destruído e o que resta? Alguns sobreviventes e uma “sombra” de ser humano. Já que são os corpos da espécie humana mortos, mas ainda com algumas funções básicas de atividade cerebral e corporal, mais conhecidos como zumbis. “The Walking Dead” tratará deste universo, a luta pela sobrevivência dos personagens e a busca por uma cura em um mundo adoentado.

A história apresentada nos dias de hoje já foi trazida de diferentes formas no Cinema, Literatura. Na área cinematográfica um grande diretor que foi o primeiro e é referência por ter trazido com esse tipo de enredo foi George Romero e dando adeus ao classicismo do gênero Terror como já apresentados em “Nosferatu”, “Drácula”, “Frankenstein”, “O Gabinete de Dr. Caligari”.

Isso significou ao abandono de certas características no roteiro desse tipo de filme como risadas maléficas, uso de gelo seco para entradas do vilão, castelos entre outras. Além de estar com um teor mais sutil para o suspense e o medo surgir do público, as produções continham uma crítica social. No caso de “A Noite dos Mortos Vivos” lançado em 1968 época do assassinato de Martin Luther King e as manifestações ocorridas nos Estados Unidos.

O único personagem negro é único que consegue ver as coisas com clareza, ver a verdade acima dos conflitos, problemas e ter cautela para lidar com eles. Já os outros personagens são brancos preconceituosos, ignorantes e impulsivos. Esse tipo de fragmento da realidade inserido, de uma maneira distorcida é algo extremamente comum na série da AMC lançada em 2010 inspirada nos HQ’S de Robert Kirkman.

Rick Grimmes, o líder de um grupo de sobreviventes e protagonista de The Walking Dead é um dos personagens mais complexos da série.  Ele que antigamente costumava ser um policial acorda em um hospital totalmente abandonado após ter sofrido um acidente em uma perseguição de alguns criminosos.  Sem famílias, amigos, vizinhos, colegas de trabalho e sem saber o que aconteceu começa a história. Aos poucos ele vai descobrindo o que aconteceu com sua cidade e país.  Forma um grupo com quem conseguiu se salvar que vai ao longo do tempo sofrendo perdas e ganhos de integrantes.

O interessante de analisar Rick é que no começo ele ainda estava muito ligado a cultura americana, a vida humana considerada normal e seguindo os padrões da sociedade estabelecidos, tais como a conduta moral. Entretanto, com a nova ordem de funcionamento do mundo ele percebe que terá de mudar sua postura e aprender algumas coisas para garantir sua sobrevivência e do restante do grupo.  Algumas complicadas como ter que matar pessoas próximas porque estas eram um risco a todos. Situação que se repetirá com todos os personagens como Carol, Maggie, Gleen, Carl, Lori, Hershel, Michonne,Dale, Andrea, Governador, indivíduos da comunidade Terminus, Alexandria.

Ao longo da série é possível captar que os “zumbis” assim como em Romero são as pessoas do mundo atual. Que geralmente são comandadas por terceiros com interesses econômicos, políticos e sociais e só apresentam algumas funções como andar ainda que lentamente, desejo de se alimentar e caçar. Ou sejam é como se já estivessem mortos, pois não se tem vontade própria. Fora este gancho social é possível identificar uma representação de como um ser humano reagiria em situações de sobrevivência, pessoas que acabam enlouquecendo por isso e o surgimento de ditadores ao meio do caos.

Atualmente na sexta temporada, a série só vem fazendo sucesso e conquistando fãs.  No primeiro episódio chegou alcançar 13,3 milhões de telespectadores. Foi considerada a temporada que conseguiu ter a maior audiência na TV brasileira. Segundo a FOX o crescimento da audiência foi de 90% graças a estratégia do canal estar passando quase que simultaneamente e também ter feito uma maratona com todas as temporadas. The Walking Dead é um grande trunfo nas mãos da emissora e se o ritmo continuar só se trará ganhos. No momento é esperar e ver como o roteiro se desenvolve e o público recebe sua estrutura.