“The Notorious” McGregor conquista segundo cinturão

Conor McGregor torna-se o primeiro lutador do UFC a possuir dois cinturões ao mesmo tempo. O UFC 205 foi o primeiro em Nova Iorque e um dos maiores da organização. Com três disputas de cinturão não haveria palco melhor para o feito do irlandês. Além do irlandês, B.J. Penn foi o único a ter esta oportunidade. Porém foi derrotado por George St. Pierre por nocaute técnico.

No dia 12 de Dezembro de 2015 McGregor derrotou José Aldo por nocaute em 13 segundos. A vitória lhe garantiu o cinturão peso pena do UFC. Quase um ano depois, ainda sem defender seu cinturão dos penas. “The Notorious” contra Eddie Alvarez. Valendo o cinturão do peso leve. Conor McGregor conquistou mais um cinturão para sua coleção, após vencer por nocaute no segundo round.

Brasil

Aldo e McGregor
José Aldo, Dana White e Conor McGregor em promoção do UFC 194

O Brasil deixou NY com um saldo negativo. Uma vitória e duas derrotas. Thiago Alves foi derrotado por Jim Miller por decisão unânime.  Vicente Luque superou Belal Muhammad por nocaute no primeiro round. Rafael Natal foi nocauteado por Tim Boetsch no primeiro round.

Três brasileiros que não lutaram, mas saíram de Nova Iorque como se tivessem perdido. José Aldo, com a vitória de McGregor, a revanche parece cada vez mais distante. Khabib Nurmagomedov venceu Michael Johnson e desafiou o irlandês. Mais uma pedra no caminho de Aldo.

Ronaldo “Jacaré”, a vitória de Yoel Romero sobre Chris Weidmann garantiu ao cubano a disputa de cinturão, deixando o brasileiro para trás. Demian Maia, com 6 vitórias consecutivas nos meio-médios, só uma tragédia tiraria seu direito de ser o próximo a disputar o título. Na disputa do UFC 205, o campeão Tyron Woodley empatou com Stephen Thompson, garantindo revanche imediata. Maia deve fazer outra luta antes da grande chance.

Miesha Tate

Miesha Tate
Miesha Tate após conquistar cinturão contra Holly Holm (via OlimpoMMA)

Após derrota para Raquel Pennington, Miesha “Cupcake” Tate anunciou sua aposentadoria. Miesha já foi campeã do Strike Force e do UFC. Marcada pela persistência em busca do seu objetivo, o cinturão. A notícia pegou de surpresa a todos, inclusive o presidente da organização, Dana White.

 

Em coletiva após o evento Dana disse que não esperava, mas compreende a decisão. Além disso ele explicou o desentendimento com a lutadora. Segundo ele, Miesha não quis ir ao hospital, como ele recomendou, e teria dito “você não é mais meu chefe”. Miesha Tate ainda não se pronunciou sobre o assunto.

 

O mackenzista, praticante de Jiu-Jitsu, Arthur Gabor, 20 anos, acredita que Miesha tomou a decisão de cabeça quente. Miesha se afastou dos holofotes e, segundo Gabor, ela deve esfriar a cabeça e pode acabar mudando de opinião. Aos 30 anos ela ainda tem mais a fazer no MMA.

bscm6ne2opu
Joanna Jędrzejczyk com cinturão do peso palha feminino do UFC

Disputas de cinturão

Além de McGregor x Alvarez. O evento também contou com a disputa de cinturão entre Joanna Jędrzejczyk e Karolina Kowalkiewicz. As conterrâneas fizeram uma grande luta, mas o título permaneceu com a campeã Joanna. Por decisão unanime dos juízes. Pelos meio-médios, Tyron Woodley enfrentou Stephen Tompson. Uma luta muita técnica que terminou em empate majoritário.

Jim Miller

UFC 100, 200 e 205. Além de formarem os três melhores cards da organização, esses eventos tem mais uma coisa em comum. Jim Miller. O americano é o único lutador que participou das três edições. Se não bastasse saiu vitorioso em todas. Não é um nome muito expressivo no MMA. Mas com certeza estará na história.