Talento às escuras

O futebol de 5 é um esporte dos jogos Paralímpicos que teve início em 2004 na cidade de Atenas. Trazendo o grande desafio de jogadores com deficiência visual jogar com uma bola sonora (com guizos internos) e serem orientados por técnicos, chamador e goleiro, obtendo como objetivo de marcar mais gols durante uma partida de 50 minutos, dividida em dois tempos de 25 minutos.

As regras são claras, cada time possui quatro jogadores que utilizam vendas para que todos estejam em igualdade, os atletas são do sexo masculino, e obrigatoriamente considerados cegos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), que conseguem perceber a luminosidade e vultos. E os goleiros não possuem deficiência visuais, porem o goleiro não pode lançar a bola além da linha da meia-quadra, nem segurar com as mãos um passe feito por um companheiro de equipe. Os jogadores contam com seus guias, que são os goleiros (defesa), os técnicos (meio da quadra) e os chamadores (ataque), que só podem orienta-los nos terços de quadra (terços defensivo, médio e ofensivo). Usando a palavra “vou!” os jogadores indicam que está em direção da bola. Existe na partida o pênalti duplo, que só acontece se uma equipe cometer mais que três faltas no mesmo período, levando a punição de um tiro livre direto a oito metros do gol.

A quadra tem duas marcas de cobrança, a do pênalti – 6m de distância da linha central da meta – e a do segundo ponto do pênalti (ou pênalti duplo) – 8m de distância da linha central da meta -, utilizada a partir da quarta falta acumulativa de cada equipe. As laterais do campo são cercadas por placas de 1,20m de altura, impedindo com que a bola saia, deixando o jogo mais dinâmico.

Você não vai querer perder a chance de se impressionar com a capacidade de dribles dos jogadores, utilizando todos os sentidos, exceto a visão. A garra dos jogadores é inacreditável, sempre entrando em quadra e dando tudo de si.

Texto escrito por: Natália Vaccari