Suspensão internacional ao basquete brasileiro

A Federação Internacional do Basquete (FIBA) aplicou uma suspensão à Confederação Brasileira de Basquete. Publicado na última segunda, a decisão impede nossa seleção e qualquer outro clube do país de participar das competição internacional até o dia 28 de janeiro. Apesar da seleção não ter nenhuma competição no período, a decisão deixou o alerta ligado de vez para a situação do basquete no país.

Motivo da punição

A FIBA alegou, após a decisão, que as principais motivações são a falta de controle do basquete no país e a falta de um plano de reestruturação do esporte. Informou ainda que há tempos vem tentando contornar a situação do esporte no país. Além de problemas estruturais temos uma dívida de mais de 17 milhões de reais.

A CBB, em comunicado oficial, se mostrou surpresa com a punição imposta e disse que “buscará meios para preservar o basquetebol brasileiro”.marcus_vinicius_rio_2016

Repercussão

A repercussão da punição, claro, não foi nada positiva. A Liga Nacional de Basquete (LNB) enfatizou apoio à FIBA. Viu na decisão da entidade uma esperança para solução dos graves problemas da CBB.

A LNB, desde que foi fundada procura não interferir nos assuntos da CBB. Ela conseguiu a permissão da entidade para organizar o campeonato masculino de clubes no país. Com isso se manteve alheia aos problemas da confederação. Porém, agora, é a maior prejudicada com a situação. Afinal os clubes foram os mais prejudicados. Flamengo e Bauru Basket, que jogariam a Liga das Américas, ficaram impedidos com a decisão da federação máxima do esporte.

Havia a expectativa, por parte dos clubes, de que após a olimpíada a situação melhorasse. Mas o que acaba acontecendo, meses após os jogos olímpicos, é um grande prejuízo a imagem do esporte no país.

E o aluno do Mackenzie, Thiago Dalle, que é comentarista do programa Arquibancada Mack e um dos donos do blog NBAdotBR, apoia a decisão: “Falta de investimento, de organização, de preparação e de planejamento. O basquete brasileiro (masculino e feminino) não evolui e parece retroceder. Apoio a decisão, pois medidas tinham de ser tomadas”.