Stephen Hawking e sua mente nas estrelas

Hoje dia 14 de março faleceu o físico e pesquisador britânico Stephen Hawking. Ele é um dos cientistas mais importantes de mundo. Durante sua trajetória abordou temas como fundamentos da gravidade e a origem do universo.
Ele possuía uma doença degenerativa chamada esclerose lateral amiotrófica (conhecida como ELA), mesmo doente não parou de estudar e publicar estudos, ficou conhecido como um exemplo de determinação.
Com o avanço da doença ele conseguia mover apenas os olhos e um dedo, mas sua capacidade intelectual permaneceu intacta. Com um sintetizador eletrônico que emitia sua fala ele continuou fazendo palestras e apresentando seus trabalhos.

A família anunciou a morte através da imprensa inglesa com um comunicado oficial: “Estamos profundamente tristes pela morte do nosso pai hoje. Era um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão por muitos anos” disse Lucy, Robert e Tim filhos de Stephen Hawking. 

A fama do cientista veio em 1960 com seus estudos sobre espaço-tempo através da lógica dos buracos negros no universo. Essa teoria mais tarde, em 1988, tornou-se um best-seller “Uma breve história do tempo”.
Stephen Hawking teve uma trajetória incrível, se formou em 1962 em física e após três anos recebeu uma premiação na classe de licenciatura em Ciências Naturais, se mudou para Cambridge para iniciar seus estudos em cosmologia.
Na Universidade de Cambridge tornou-se doutro em cosmologia e professor de matemática, onde foi professor lucasiano emérito, cargo antes ocupado por cientistas com grande renome como Charles Babbage, Isaac Newton e Paul Dirac.
Durante sua vida Hawking escreveu 14 livros de grande sucesso, abordavam temas da cosmologia e física.
A Nasa fez uma nota para se despedir do cientista que ajudou tanto no desenvolvimento de estudos do universo:

“Suas teorias desbloquearam um universo de possibilidades que nós e o mundo estamos explorando. Pode continuar voando como Superman em microgravidade, como você disse aos astronautas no @Space Station em 2014”.

Nós da Redação Virtual prestamos nossa homenagem para esse grande ícone que deixou um legado incrível que inspira muitas pessoas.
Luana Cunha de Figueiredo

Futura Jornalista apaixonada por girassóis e pelos pequenos detalhes da vida. Curiosa o suficiente para questionar e refletir sobre tudo a sua volta.