Semana de Psicologia recebe SP Invisível

Foto: Ilana Oliveira
Foto: Ilana Oliveira

A Semana de Psicologia 2016 da Universidade Presbiteriana Mackenzie recebeu dentre seus muitos palestrantes, o projeto SP Invisível. Dentro deles estavam o idealizador inicial do projeto, André Soler, Elisa Soler, uma estudante de psicologia e participante do grupo, e Paula, uma psicóloga formada e também atuante na área.

O SP Invisível é um projeto que conta as histórias de várias pessoas em situação de rua pelas calçadas da cidade de São Paulo, desde que foi inciado até agora, já conquistou mais de 330 mil curtidas no Facebook e mais 47 mil no Instagram. São postados perfis desses moradores e uma foto. A ideia surgiu a partir do movimento Humans of New York, que pretende contar as histórias das pessoas que vivem pela cidade novaiorquina, porém aqui no Brasil o foco são as pessoas em situação de carência.

Com a sala lotada e estudantes que não paravam de chegar, André apresentava uma das campanhas já finalizadas por eles: o financiamento de carroças. “Nós acreditamos que as carroças representem muito mais do que um meio de carregar as coisas, elas representam aquilo que é deles”, constatou o idealizador. Além disso, histórias que eles ouviram foram contadas para quem estava lá, “tudo o que nós ouvimos mexe com a gente, não tem jeito”, declarou André.

No embalo, contou da mais recente campanha: A Cidade que Ninguém vê. O livro que vai ser publicado a partir de financiamento coletivo no site catarse.me, tem prefácio de Lázaro Ramos e é constituído pelos 100 perfis feitos pelo SP Invisível e mais curtidos na página do Facebook. Pagando 75 reais, o financiamento garante o livro impresso e a entrega ao comprador.

  • Para ajudar o financiamento coletivo e comprar o livro do SP Invisível, clique aqui.

A equipe do projeto está, para alguns infelizmente, completa. Porém, toda e qualquer ajuda é bem vinda em relação à arrecadação de alimentos e parcerias com ONG’s, segundo eles. As saídas às ruas para recolhimento de perfis acontecem todos os domingos às 9h da manhã, e o ponto de partida é a estação do metrô Barra Funda.