Rússia 2018: Dia 5

O quinto dia do mundial na Rússia foi marcado pelos jogos entre: Suécia 1×0 Coréia do Sul, Bélgica 3×0 Panamá e Tunísia 1×2 Inglaterra.

 

Suécia 1×0 Coréia do Sul

O primeiro jogo do dia, ás 9 da manhã no horário de Brasília, entre a equipe sueca e a sul-coreana aconteceu em Níjni Novgorod. A disputa não exibiu o mesmo espetáculo dos últimos jogos, porém mais uma vez o VAR foi utilizado.

Depois de um primeiro tempo morno, um pênalti marcado com o recurso de video garantiu a vitória da Suécia por 1 a 0. Apesar disso, na metade inicial da primeira etapa, houve um intenso domínio da seleção coreana. Os suecos mudaram de postura que inicialmente era defensiva para garantir a posse de bola e criou boas chances, porém a maioria delas terminaram com má pontaria ou nas mãos de Cho Hyun-woo.

O jogo esquentou nos primeiros dez minutos do segundo tempo com duas grandes chances de gol para cada lado. A rede só balançou  após a cobrança da penalidade que coube ao capitão sueco Granqvist. A Coréia chegou a criar algumas chances de perigo ao gol da Suécia, mas nenhuma com sucesso.

 

Bélgica 3×0 Panamá 

O segundo jogo do dia, aconteceu ao meio dia no horário de Brasília, entre a Bélgica e o Panamá em Sochi. O primeiro tempo da favoritíssima Bélgica foi decepcionante. Durante os 45 minutos iniciais, a equipe belga dominou a posse de bola e tentou de todas as formas possíveis furar a defesa do Panamá, que estava muito fechada.

Com dois minutos do segundo tempo, a Bélgica definitivamente mostrou a que veio. O meia-atacante Dries Martens, do Napoli, balançou a rede com um chute de primeira. Em seguida, a Bélgica jogou muito a vontade e sem dificuldades para marcar mais dois gols com Lukaku.

A Bélgica volta a campo no sábado, às 9 horas no horário de Brasília, contra a Tunísia. O Panamá jogará no domingo, também às 9 horas contra a Inglaterra.

 

Tunísia 1×2 Inglaterra

O último jogo do dia, aconteceu ás 15 horas no horário de Brasília, entre Túnisia e Inglaterra em Volgogrado. Mesmo jogando mal, a Inglaterra bateu a Tunísia pelo placar de 2×1. O primeiro tempo foi marcado por grande movimentação ofensiva e claras chances de gol.

Com dois minutos de jogo veio a grande primeira oportunidade de gol com Lingard, mas Hassen conseguiu evitar o primeiro gol inglês da partida. Os ingleses balançaram a rede aos 10 minutos de jogo, após cobrança de escanteio por Young, Stones deu uma forte testada e Hassen fez uma grande defesa. No rebote, Kane conseguiu mandar a bola para o fundo do gol.

Na marca de 32 minutos, Walker fez pênalti ao deixar o braço no rosto de Ben Youssef, em bola fora do alcance do atacante. Na cobrança, Sassi bateu bem, no canto direito. Pickford chegou a encostar na bola, mas não conseguiu evitar o gol da Tunísia.

Já nos acréscimos da segunda etapa,  Harry Kane, após escanteio, testou forte para o fundo do gol e garantiu a sofrida vitória inglesa pelo placar de 2 a 1.

Em resumo, para mim, Nicole Kloeble, aluna da Universidade Presbiteriana Mackenzie, o que mais me chamou atenção no quinto dia de mundial está muito além do jogo de futebol. Na disputa entre Bélgica e Panamá, o comportamento tanto dos torcedores quanto dos jogadores panamenhos foi emocionante. Com a Bélgica favorita, a equipe do Panamá não escondeu a emoção de participar pela primeira vez do mundial. Na execução do hino, o capitão Roman Torres, que fez o gol da classificação nas eliminatórias, se emocionou e caiu em lágrimas. A torcida panamenha foi reforçada por todos – que não belgas – no estádio. O resultado era o que menos importava ali.

 

Confira o resumo do dia 123 e 4 do mundial!