Rússia 2018: Dia 4

O quarto dia do mundial de futebol ocorreu hoje, na Rússia. O dia começou com uma vitória da Sérvia sobre a Costa Rica, por 2 a 1. Depois, a atual campeã do mundo, a Alemanha, perdeu para o México por 1 a 0. No último e mais esperado jogo do dia, Brasil e Suíça ficaram apenas no empate.

 

Grupo E – Costa Rica x Sérvia

A partida foi disputada em Samara, às 9h no horário de Brasília. Por mais que alguns possam considerar a Sérvia favorita, a Costa Rica tinha o fator surpresa a seu favor, assim como em 2014.

Logo aos dez minutos de jogo, o zagueiro costarriquenho, Giancarlo González, errou uma cabeçada fácil, com liberdade na pequena área, que poderia ter colocado seu time na frente do placar. Na sequência, os sérvios controlaram o jogo. Eles tinham a posse da bola, mas não conseguiam criar chances de gol, enquanto a Costa Rica se propunha a explorar os contra-ataques.

Kolarov comemora o golaço marcado

No segundo tempo, aos cinco minutos, o atacante sérvio, Mitrovic, perdeu uma chance clara de gol ao ficar frente a frente com o goleiro Navas, que fez ótima defesa. Depois, aos onze minutos, veio o gol. Em uma brilhante cobrança de falta, Kolarov deixou os sérvios em vantagem com o terceiro gol de falta da competição em apenas quatro dias.

Por fim, depois do gol sofrido, a Costa Rica se lançou ao ataque para buscar o gol de empate. Porém, a limitação técnica da equipe impediu jogadas de triangulação para desmontar a defesa da Sérvia, que saiu de campo vitoriosa.

 

Grupo F – Alemanha x México

Uma das favoritas ao título mundial, a Alemanha não conseguiu colocar a bola dentro da rede e acabou perdendo para o México, por 1 a 0.

Lozano vibra com gol marcado

O jogo começou movimentado, com boas chances para ambos os lados logo no início. Era esperado que os alemães tivessem a posse da bola, enquanto os mexicanos apostariam no contra-ataque. No entanto, não foi isso que aconteceu. Foi uma partida equilibrada, em que o México buscava ataques em velocidade, principalmente pelo lado direito da defesa alemã, com Lozano, Vela e Chicharito Hernández. Após algumas tentativas frustradas, com decisões de jogadas equivocadas e o último passe não sendo completado, o México chegou ao seu gol com uma roubada de bola na defesa e um contra-ataque veloz.

O segundo tempo foi diferente, um pouco mais morno. A Alemanha precisava de um gol, e o técnico Joachim Low colocou Reus, Gomez e Brandt para tentar balançar as redes. Contudo, o treinador do México, Juan Carlos Osorio, recuou seu time ao tirar de campo Lozano, Vela e Guardado, abrindo mão do ataque para segurar o resultado.

 

Grupo E – Brasil x Suíça

Com atuações apagadas de Neymar e Paulinho, o Brasil enfrentou a Suíça, em Rostov, e ficou apenas no empate em 1 a 1.

O confronto foi bem equilibrado, mas as melhores chances de gol foram brasileiras. Aos onze minutos, Paulinho perdeu ótima chance na pequena área, após boa troca de passes. A marcação pressão, muito utilizada por Tite, não rendeu roubadas de bola que possibilitassem chances de gol.

Jogadores brasileiros celebram golaço de Coutinho

Aos 19 minutos, Philippe Coutinho aproveitou a sobra de bola em um cruzamento e marcou um golaço, com um chute que é sua marca registrada. Logo após o gol marcado, a seleção brasileira recuou um pouco e a Suíça tinha a posse da bola, mas não conseguia criar jogadas bem trabalhadas.

Na volta do intervalo, em um escanteio, Zuber empurrou Miranda na disputa aérea pela bola. Porém, o juiz não deu falta do atacante suíço e ele empatou o jogo.

Na sequência, o Brasil ficou com a posse da bola, trocando passes, em busca do segundo gol. A Suíça, então, apostou no contra-ataque. Após diversas chances, a seleção brasileira não conseguiu balançar as redes e o confronto terminou empatado.

 

Na opinião de Caio Villela, aluno da Universidade Presbiteriana Mackenzie, as partidas de hoje foram interessantes. “O primeiro jogo foi bem fraco tecnicamente, entre Costa Rica e Sérvia. A seleção costarriquenha me surpreendeu negativamente”, diz.

Sobre a vitória do México, Caio gostou muito da postura da equipe, sem medo da Alemanha e indo em busca do gol. “Abriu o placar e poderia ter feito até mais de um gol no primeiro tempo. Depois, deu orgulho de ver o time se defendendo e jogando com raça”, conta.

Por fim, na polêmica do jogo entre Brasil e Suíça, o estudante acredita que foi falta no Miranda, mas é difícil o juiz marcar por se tratar de um empurra-empurra na área, que acontece em todo escanteio. “O lance mais capital do jogo foi o pênalti não marcado no Gabriel Jesus, em que o zagueiro suíço da um abraço nele, os brasileiros reclamam e o juiz nem sequer pede o auxílio do vídeo. A arbitragem vacilou nesse lance”, diz Caio.

Confira o resumo do dia 1, 2 e 3 do mundial!

Palmeirense apaixonado por esportes. É o melhor entretenimento do mundo!