Rússia 2018: Dia 19

No terceiro  dia das oitavas de final do Mundial da Rússia, o Brasil eliminou o México por 2 a 0 e a Bélgica eliminou o Japão em um virada por 3 a 2

 

Brasil 2 x 0 México

Em jogo equilibrado em Samara, o Brasil conseguiu a vitória e eliminou os mexicanos do Mundial. Com um gol e uma assistência, Neymar foi o craque da partida.

O início do jogo não foi fácil, o Brasil teve dificuldades para evitar os ataques perigosos do México principalmente pelo lado esquerdo, dando muito trabalho ao Fagner,  mas não tanto assim ao goleiro Alisson. A primeira boa finalização da  Seleção Brasileira ao ataque veio com Neymar. Em jogada individual pelo lado esquerdo, o craque passou pela marcação de Alvarez e Ayala antes de finalizar para boa defesa do goleiro Ochoa. A partir de então, o time de Tite cresceu no jogo. Em outra jogada pela esquerda, Gabriel Jesus recebeu de Philippe Coutinho, limpou a marcação e bateu para defesa de Ochoa. No fim do primeiro tempo, Neymar ainda cobrou falta com algum perigo.

O Brasil voltou ligado para o segundo tempo e saiu na frente logo aos cinco minutos. Perto da área, Neymar pisou para Willian, que levou a bola para a esquerda e cruzou. Gabriel Jesus não alcançou, mas Neymar finalizou para o fundo do gol mexicano. Aos 42 minutos, Neymar deu o passe para o segundo gol. Recebeu de Fernandinho pela esquerda, invadiu a área e cruzou para Firmino marcar  logo depois de substituir Philippe Coutinho.

 

Bélgica 3 x 2 Japão

Em virada surpreendente, os belgas bateram os japoneses por 3 a 2 com gol no último lance do jogo e enfrentarão o Brasil pelas quartas de final na próxima sexta-feira.

Os belgas enfrentaram muita dificuldade com a pressão imposta pela equipe do Japão no início do jogo e, logo no primeiro minuto, Kagawa finalizou para fora. A primeira oportunidade belga foi um chute de fora da área de Witsel aos 15 minutos e, a partir dai, começaram a ficar mais com a bola e pressionar os japoneses também. A Bélgica teve algumas boas chances mas não conseguiram criar tanto perigo na reta final do primeiro tempo. O Japão quase abriu o placar aos 44 minutos, Nagatomo cruzou, Osako tentou dominar e a bola foi em direção ao gol. Courtois foi mal e deixou a bola passar por baixo de sua perna, mas evitou o gol.

No início do segundo tempo, o Japão foi fatal no contra-ataque. Após roubar bola na entrada da área, Inui tocoua para Kagawa, que lançou nas costas de Vertonghen. O zagueiro belga não conseguiu fazer o corte e Haraguchi ficou com a bola dentro da área e marcou. Os belgas tentaram reagir rápido com uma bomba na trave aos 4 minutos de Hazard, mas os japoneses logo marcaram o segundo gol. Kagawa pegou a sobra de um chute, tirou o marcador e tocou para Inui finalizar no canto esquerdo do goleiro. Tensa, a Seleção Belga passou a ter muita dificuldade para chegar ao ataque. O Japão quase marcou mais um com Sakai que cruzou rasteiro da direita, Courtois tirou com o pé e Osako desperdiçou a chance.

A reação belga veio aos 25 minutos da segunda etapa. Após cobrança de escanteio, o Japão tentou afastar, mas a bola ficou dentro da área, Vertonghen cabeceou e entrou encobrindo o goleiro. O gol do empate saiu aos 28 minutos,  Hazard fez um belo cruzamento e Fellaini cabeceou. O jogo continuou quente, com boas chances para ambos os lados. A virada belga veio de um belo contra-ataque, De Bruyne arrancou da entrada da área do campo de defesa, passou para Lukaku, que deixou Chadli com o gol aberto para marcar.

 

Para mim, Nicole Kloeble, aluna da Universidade Presbiteriana Mackenzie, o Brasil deixou a desejar mesmo saindo vitorioso de campo. Algumas bobeadas na defesa deram grandes oportunidades para os mexicanos abrirem o placar, além de um primeiro tempo travado e morno. Já em relação ao jogo entre Bélgica e Japão, os japoneses surpreenderam muito com a pressão em cima da Bélgica durante praticamente os 90 minutos inteiros, mas a qualidade do futebol belga se mostrou superior à organização japonesa com a virada sensacional.

 

Confira o resumo do dia 12, 345, 6 e 7 , 8 , 910, 1112 , 13, 141517  e 18 do mundial.