Rio 2016: Os esportes mais inusitados dos Jogos Olímpicos

As Olimpíadas mal acabaram e já deixam saudade, e para matar a saudade do maior evento esportivo do mundo a Etc e Tal reuniu os esportes mais inusitados desses Jogos! Confira:

1- Marcha Atlética:

A marcha atlética é uma modalidade pouco reconhecida mas já está presente nas Olimpíadas desde 1908! Pode parecer estranho a forma como esse esporte é praticado, entretanto há uma explicação, o atleta tem como objetivo percorrer uma certa distância com pelo menos um pé em contato com o solo e a perna que avança tem que estar reta. Nessa edição das Olimpíadas dos Jogos Olímpicos o Brasil conseguiu chegar em 4º lugar com o atleta Caio Bonfim na prova masculina e na feminina em 7º lugar com Érica de Sena, não foi dessa vez mas chegamos perto! Talvez com um pouco mais de treino conseguiremos chegar ao pódio nas Olimpíadas de 2020 em Tóquio com a inusitada marcha atlética.

2- Badminton:

Mesmo não sendo tão desconhecido como a marcha atlética, badminton é bem semelhante ao tênis, mas, infelizmente ainda é um esporte pouco praticado no Brasil, com uma raquete e uma peteca o jogador deve fazer com que a peteca atinja o campo adversário, o jogo acaba quando o vencedor ganha dois ou três games de 15 pontos, esse esporte pode ser realizado individualmente ou em dupla. A rapidez do jogo e a precisão da peteca que pode atingir uma velocidade superior a 300 km/h deixa o jogo muito mais interessante, badminton está presente nas Olimpíadas desde 1992. Infelizmente o Brasil não conquistou nenhuma medalha nessa modalidade, quem sabe teremos mais sorte nas próximas Olimpíadas!

3- Hóquei sobre a grama:
Altenburg, Lisa - Hóquei sobre Grama - Alemanha - Feminino - Feminino, disputa pelo bronze - Centro Olímpico de Hóquei

Hóquei na grama é um esporte coletivo composto por 11 jogadores em cada equipe, apesar de incomum, é um esporte muito antigo, é praticado desde a Grécia Antiga e faz parte dos Jogos Olímpicos desde 1908. A partida é dividida em 4 tempos de 15 minutos, a equipe que fizer mais gols no tempo da partida vence. A equipe brasileira também não teve o resultado esperado e infelizmente não participou das Olimpíadas com a equipe feminina.

4- Canoagem Slalom:

da Silva, Pedro - Canoagem Slalom - Brasil - Caiaque individual (K1) masculino - Caiaque individual (K1) masculino, 1/2 - WWS - Estádio de Canoagem Slalom
De origem sueca, a canoagem slalom surgiu na década de 3o inspirada no esqui slalom, é um esporte aquático bastante radical, os competidores devem enfrentar a correnteza e os obstáculos imprevisíveis do rio, quem conseguir fazer o trajeto em menor tempo ganha. O esporte foi incluído na Olimpíada em 1972 mas ficou de fora duas vezes, e retornou aos jogos só em 1992 e está presente desde então. Existem 4 modalidades, uma feminina e três masculinas. Na modalidade canoa dupla masculina, os nossos atletas Charles Correa e Anderson Oliveira chegaram na décima primeira posição, desejamos mais sorte em Tóquio!

5- Ciclismo BMX:

Medalha - Pajon, Mariana - Ciclismo BMX - Colômbia - Feminino - Feminino, final - Centro Olímpico de BMX

Tão radical quanto a canoagem slalom, o ciclismo bmx surgiu em 1968 entretanto só em 2008 nas Olimpíadas de Pequim foi classificado como esporte olímpico. Com suas bicicletas os competidores devem fazer manobras radicais na pista de terra, quem chega primeiro vence. O esporte também é conhecido como bicicross. Representando o Brasil, Renato Rezende chegou às quartas de final mas infelizmente não conquistou o tão sonhado ouro.


Imagens: Rio 2016