Resumo do Jogos Olímpicos Rio2016

Resumo da semana na Rio2016 Até 14 de agosto, 15h

A primeira semana dos Jogos Olímpicos Rio 2016 foi de muita festa e expectativas entre atletas e torcedores. As incertezas quanto a capacidade brasileira de organizar o maior evento esportivo  do mundo, deu lugar à alegria e sorrisos nos pódios e nas arquibancadas. Dentro de quadra, piscinas, ginásios e estádios pudemos ver entrega total e muito preparo. Atuações emocionantes que serão lembradas por muito tempo.

Felipe_Almeida_Wu_2016
Felipe Wu.

A delegação brasileira teve conquistas importantes e promete fazer a maior participação de sua história. Logo no primeiro dia já demos prova disso. Depois de quase 100 anos voltamos a conquistar uma medalha no tiro esportivo, com Felipe Wu. Na sequência, o judô brasileiro mostrou tradição com a força das mulheres. Rafaela silva trouxe o primeiro ouro dos jogos, e Mayra Aguiar o bronze. Fechamos a participação no esporte com outro bronze, de Rafael Silva.

Mas também há alguns reveses. Pela primeira vez desde 2004 a natação brasileira não conseguiu nenhuma medalha. Participamos de algumas finais, mas o pódio não chegou para o país. Em compensação, vimos Michael Phelps se tornar de vez uma lenda. No Rio de Janeiro chegou a 28 medalhas olímpicas, sendo 23 de ouro. É o maior atleta olímpico da história.

As outras duas medalhas foram históricas e vieram com muita emoção. No solo, da ginástica, Diego Hypolito e Arthur Mariano subiram ao pódio na primeira dobradinha do país. Uma prata e um bronze, respectivamente.

Rafaela Silva.
Rafaela Silva.

Ainda há muitas alegrias por vir. Estamos na final do boxe, com grandes chances de ouro. No futebol chegamos às semifinais no masculino e feminino e lutamos pelas medalhas nessa semana. Nosso vôlei, tanto nas quadras como na praia, mostrou a força de sempre e avançou na competição com os homens e as mulheres. Nenhuma eliminação até agora.

Ponto de vista universitário

Torcedores estão animados com Jogos Olímpicos e tem muito a dizer. Anderson Teixeira, 19 anos, aluno de 4 semestre da Universidade Presbiteriana Mackenzie, ex lidere da Editoria de Esporte. Disse: “Apesar de ainda não termos atingido nossas expectativas com relação à medalhas, estamos na briga, e acho que está correndo tudo dentro da realidade. Nossos recordes de medalhas de ouro foram em Pequim 2008 e Londres 2012, ambas com 5 medalhas. Agora no Rio, temos chances claras de ultrapassar essa marca e chegar até mesmo a 8 ouros. Seria espetacular! Além disso, resultados como a classificação para a final do 4×100 medley na natação (algo que não acontecia há 36 anos) e a dobradinha brasileira no pódium da ginástica com a ressureição de Diego Hypolito ilustram nossa evolução. O Brasil está crescendo no meio esportivo, nossa desempenho olímpico demonstra isso, e espero continuar com essa imagem no final desse espetáculo. Além disso, espero que o país entenda que nem sempre é vencedor aquele que sai da competição com uma medalha no peito”.

E Andressa de Ungaro, 20 anos, aluna de 5 semestre do Mackenzie, DM do time de vôlei da Atlética de Comunicação e Artes. Falou: “Gosto do que eu assisto pela TV. Sei que houve muitos problemas em relação a vila dos atletas e em outras áreas, mas aparentemente não interferiu no resultado do atletas. É uma pena que poucos brasileiros conquistaram as medalhas olímpicas, mas é algo pra ser trabalhado ainda. Esta sendo uma bela Olimpíada e espero que o Rio possa ser sede outra vez e que seja mais bem preparado. Ahhhhh, P.S.: Também achei uma pena tantos atletas terem se machucado nessa Olimpíada, como o ginasta francês com a fratura exposta da perna e aquela ciclista que tropeçou no buraco e teve graves ferimentos. Talvez seja uma coisa pra ser investigada”.

Assim, as expectativas de fazer bonito com nossos atletas só aumenta, porque fora da competição já estamos fazendo uma grande olimpíada. Parabéns, BRASIL!

Texto escrito por: Kaue Felix