Resenha: “Inquebrável – Fernando Fernandes”

Lançado em julho de 2017, um ano após sua aposentadoria da paracanoagem, essa biografia conta a brilhante trajetória de Fernando Fernandes. Após um grave acidente de carro em que perdeu o movimento das pernas, Fernando viu no esporte a chance de superar tudo o que passou, conheceu a paracanoagem e um ano depois se tornou campeão mundial.

A vida Fernando Fernandes havia mudado drasticamente. Ter participado do reality show Big Brother Brasil o tinha tornado conhecido na mídia brasileira e ser reconhecido nas ruas era um sucesso. Além disso, com a maior visibilidade da mídia, sua carreira de modelo estava decolando e grifes internacionais de luxo queriam o seu trabalho. Porém, em julho de 2009, prestes a embarcar para a Europa, onde desfilaria como modelo para uma grife de luxo, Fernando sofreu um acidente de carro que seria um marco em sua vida.

Sua história é dividida em três partes, assim como sua biografia. Na primeira parte, denominada “Antes da Queda” é contada a história de Fernando antes do acidente. Morador de São Paulo e amante de futebol, adorava jogar bola com os amigos e praticar corrida no Parque do Ibirapuera. Por ser alto, forte e bonito, o jovem Fernando começou a fazer alguns trabalhos como modelo fotográfico, e se mudou para Nova York em busca de seguir carreira na profissão.

Porém, foi após sua volta para São Paulo que sua carreira começou a decolar. Ele foi convidado para ser um dos integrantes do BBB, que o colocaria nos holofotes da mídia brasileira. Mesmo tendo permanecido apenas três semanas no programa, foi o suficiente para ser reconhecido nas ruas, e por ter aberto novas portas de trabalho como modelo. Seguiu sua carreira até julho de 2009, quando sofreu o acidente.

Fernando teve sua 12º vertebra quebrada, lesionando a medula. Quando acordou no hospital não sentia mais as pernas. Neste momento começa a segunda parte de sua biografia. Em “Diário de um resiliente”, é divulgado o emocionante diário que ele começou a escrever no hospital dias depois do acidente. É surpreendente como ele não se abalou e se reinventou a partir daquele momento. Mesmo com as dificuldades de fazer fisioterapia e até mesmo tomar um banho, Fernando teve seu psicológico e sua mente muito serenos, e sempre se mostrou confiante em relação à sua recuperação.

Passou cinco semanas hospitalizado se recuperando e traçando objetivos para a sua nova vida. Sempre foi consciente sobre os obstáculos que apareceriam pela frente, como a mobilidade e o acesso à determinados lugares. Fernando viu a oportunidade de ser um espelho para outras pessoas que também buscam a recuperação e passou a ser um porta-voz pela causa dos cadeirantes na sociedade, transformando-se em um exemplo nacional.

Logo depois que saiu do hospital em São Paulo, foi à Brasília em um centro de reabilitação terminar sua recuperação. Foi em Brasília que Fernando viu no esporte uma nova forma de se reinventar e se inserir novamente na sociedade. Através da corrida em cadeira de rodas, Fernando completou a Maratona de São Silvestre apenas seis meses depois do acidente.

Mas foi na paracanoagem que ele realmente se apaixonou. Ainda em Brasília começou a treinar forte e viu a possibilidade de participar de competições. Neste momento começa a terceira parte de sua história. Em “A vida pela frente”, Fernando narra sua trajetória de volta para o esporte através da paracanoagem. Sempre com confiança no seu potencial, superou todas as dificuldades da recém reabilitação e se classificou para o mundial de sua categoria.

Em agosto de 2010, um ano e um mês depois do acidente, em Poznán, na Polônia, Fernando tornou-se campeão mundial de paracanoagem, com todos os méritos possíveis. Com isso, trouxe ao esporte uma grande visibilidade mundial. Fernando continuou competindo e se tornou bicampeão mundial e bicampeão sul-americano, mas sua chance de participar das Olimpíadas do Rio em 2016 não se concretizou por conta do mal gerenciamento de categorias do Comitê Paralímpico internacional.

Hoje em dia, continua a tratar o esporte como principal fonte de energia para continuar superando as dificuldades da paraplegia e inspirando jovens e adultos que precisam recomeçar e achar um novo sentido para a vida. Inquebrável é uma história de resiliência, fé e, sobretudo, confiança no próprio potencial.

Murilo Pansonato, aluno do curso de nutrição da Universidade Presbiteriana Mackenzie, leva Fernando Fernandes como uma grande referência no esporte, pela sua perseverança e pela busca constante do melhor desempenho mesmo com as dificuldades encontradas. “Achei o livro bem interessante, principalmente como é importante dar valor à vida e à capacidade de se reinventar quando as coisas não saem como previsto” disse.

Clique aqui para ler a resenha sobre o documentário “LesBleus – Une Autre Historie de France 1996-2016”

Não dispenso por nada uma boa resenha sobre esportes. Sou fã de todos eles, mas amo o futebol. Ver uma torcida gritando gol é a minha maior emoção!