Quatro grandes goleiros que marcaram uma geração

Na última quarta-feira, 26, foi comemorado mais um Dia do Goleiro. Para celebrar essa data, que homenageia os jogadores mais solitários do gramado e, por diversas vezes, os mais injustiçados por focarem em seus lances e esquecerem dos outros 10 jogadores em campo, separei uma lista de quatro grandes goleiros mundiais:

  1. GIANLUIGI BUFFON (Itália)

    Campeão do Mundo em 2006, Buffon segue em atividade, aos 39 anos, na Juventus – onde é ídolo desde 2001. Buffon é o terceiro goleiro a participar de cinco Copas do Mundo e foi eleito pela FIFA como o melhor goleiro dos últimos 25 anos.

  1. OLIVER KAHN (Alemanha)

    Campeão da Eurocopa em 1996 e vice-campeão da Copa do Mundo de 2002, Oliver Kahn, 47 anos, foi ídolo do Bayern de Munique, clube no qual jogou de 1994 a 2008, ano em que se despediu dos gramados. Kahn foi o único goleiro a conquistar o título de melhor jogador de uma Copa, em 2002.

  1. EDWIN VAN DER SAR (Holanda)

    Campeão do Mundial da FIFA em 2008, pelo Manchester United, Van der Sar, 46 anos, encerrou a carreira no clube inglês em 2011, onde jogava desde 2005. Foi campeão da Champions League pelo Ajax em 1995 e pelo Manchester em 2008. Van der Sar é venerado com um dos melhores goleiros do mundo de todos os tempos.

 

  1. PETER SCHMEICHEL (Dinamarca)

    Campeão da Champions Legue em 1999, pelo Manchester United, onde foi ídolo de 1991 a 1999, Schmeichel, 53 anos, é considerado por muitos como o melhor goleiro do mundo de todos os tempos por ter sido uma figura muito completa debaixo das traves. Encerrou a carreira em 2003, no Manchester City.

O aluno de Jornalismo do 3º semestre, da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Flávio Rodríguez, contou qual desses goleiros ele mais admira: “Dizem que vinho quanto mais velho for, melhor é, e o Buffon levou isso ao pé da letra. Com 39 anos ele consegue se manter entre os maiores goleiros do mundo, isso se não for o maior.” O fato de Buffon sempre ter jogado na Itália também chama a atenção de Flávio, que finaliza: “Jogou em clubes de destaque como Parma e Juventus, onde em ambos fez milagres e deu glórias. Ele demonstra um grande nacionalismo.”

 

Texto por Marina Delamo

Ana Julia Paloschi
Não dispensa uma boa conversa, um café e um episódio de Friends.