Quando a África se torna notícia?

Na quinta feira dia 17 de novembro o auditório do prédio Reverendo Wilson contou com uma série de atividades que tinham como tema principal a África.

Uma das palestras da parte da manhã foi ministrada por Fábio Zanini ex- editor de Mundo e agora editor de Poder do jornal Folha de São Paulo. O jornalista é Mestre em Relações Internacionais pela School Of Oriental and African Studies. E contou aos alunos presentes um pouco sobre suas experiências da África e porque o continente nunca é a prioridade nas noticias.

Fábio Zanini relatou que há alguns anos atrás ele pediu licença da Folha por cinco meses e meio, os quais passou inteiros viajando do sul até o norte da África. Ele diz que buscou fazer a maior parte da viagem por terra, mas que em alguns momentos era necessário ir de avião devido à precariedade das estradas africana e os problemas com a pontualidade dos transportes.

Durante a viagem Fábio produzia conteúdo para um blog e eventualmente algumas matérias para a Folha.

O espaço da África nos cadernos internacionais

O jornalista analisou os motivos pelos quais noticias sobre a África não serem tão recorrentes nos jornais. Ele diz que as noticias sobre o continente que recebem certo grau de atenção são sobre a Guerra Civil Síria. O conflito ocasionou em uma crise global de refugiados. A situação da Síria chama a atenção dos meios de comunicação por ter relação com diversos fatores de interesse global como, por exemplo, o grupo Estado Islâmico

Fábio conta que a maior parte dos veículos ainda enxergam uma África ainda vitima da pobreza e fome severas. E  que durante sua estadia no continente ele pode perceber que há muito mais além disso .

Ele revela acreditar que a importância da África deve crescer dentro de alguns anos nos jornais. O continente continuará atrás da América e Europa na lista de preferencias, mas deve aparecer mais nos noticiários principalmente com notícias diferentes das que estamos acostumados. Ele diz haver histórias no solo africano que merecem serem contadas.

Veja mais sobre as palestras:

O que diria uma brasileira se fosse à África?