Professor e jornalista por amor

Marcelo José Abreu Lopes, professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, é graduado em Jornalismo pela USP. Nascido em São Paulo, conta que de certa forma sempre esteve ligado à profissão, embora nunca tivesse passado por sua cabeça que seria um jornalista. “Até o segundo ano do Ensino Médio, eu dizia que queria cursar Física Nuclear”, diz.

“Eu fazia jornal desde criança. O primeiro jornal que eu fiz eu tinha 4 anos. Minha família estava de mudança e eu peguei uma caixa de papelão, dobrei, rabisquei por dentro e por fora, e dei na mão da minha mãe com a seguinte frase: está aqui o meu jornal”, afirma. O jornalista conta que fazia jornais dentro de casa os quais obtiveram por um bom tempo uma periodicidade diária, isto é, todos os dias havia um jornal com novas notícias cujo título era “Notícias da Casa”.

Mestre em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo, iniciou sua carreira na área de assessoria de imprensa. “Já trabalhei com conteúdo voltado para dentistas, depois trabalhei em uma revista voltada para o mercado petroquímico”, ressalta o professor.

“Entrei na área acadêmica por incentivo de antigos professores. Eles me diziam que eu levava jeito para o âmbito universitário, além de ter gosto por pesquisa”, e completa que nunca imaginou que seguiria por esse lado da profissão. Começou a trabalhar como professor na em uma outra instituição universitária de São Paulo, em que lecionou por aproximadamente 3 anos, além de criar o planejamento curricular do curso de Jornalismo desta universidade.

Iniciou sua carreira no Mackenzie em 2003. “Já faz 15 anos que estou aqui, nos quais já participei de muitos projetos e reformas curriculares”, afirma. Já organizou projetos de jornal impresso, revista, jornal on-line, entre outros, por todos os lugares que passou.

“Eu gosto de criar coisas. Criar projetos e publicações em um ritmo jornalístico”. O professor afirma que não se vê em outra profissão. Duas coisas o move: a educação e o Jornalismo.

Clique aqui para ver o perfil do professor Fernando Pereira.