PORTFÓLIO FOTOGRÁFICO – Rebecca Gomes

No portfólio de hoje, a Faço Arte apresenta o trampo de fotografia da Rebecca Beatriz Gomes, estudante do 2º semestre de jornalismo que acabou de completar 18 anos (<3). Além de integrar a Editoria Internacional da RV e ser Miss Mackenzie nas horas vagas, a Rebecca fotografa já faz um tempo e sim, o trabalho dela é incrível. Bora conferir?

 

Você participa de algum projeto ou Empresa Júnior do Mackenzie?

Redação Virtual fortalecendo o rolê

 

Para você, o que é arte?

Arte é sua forma de ver o mundo, expresso no que você gosta ou sabe fazer.

 

O que te inspira?

Ver as pessoas se sentindo bem com o que está transmitido na foto e cumprir o chamado que Deus estipulou para mim.

 

Quais são seus hobbies?

Fotografar, ler e editar.

 

E o que levou você começar a fazer arte?

Eu sempre gostei de fotografar, dai uma época eu tava precisando de dinheiro, ai pensei: “vou tirar foto das pessoas”, não deu certo, mas o gosto permaneceu.

 

O que sente quando fotografa?

Sinto um prazer absurdo de poder registrar algo e me sinto muito útil quando faço.

O que é jornalismo para você? E como escolheu esse curso?

Jornalismo é a ponte da sociedade com a informação. Eu sempre amei lidar com pessoas e me comunicar, e jornalismo foi onde pude encontrar tudo que eu gostava.

 

Você expressa sua arte na sua vida profissional?

Graças a Deus, sim. A fotografia ela é complementar ao jornalismo, os dois se encaixam e dão a combinação perfeita pro publico.

 

Tem algum recado para os mackenzistas, relacionados a arte?

Aproveitem todos os recursos que a vida e o Mackenzie dão.

 

Como é o processo de criação de sua arte?

A pré-produção é mais racional, eu monto um roteirinho na minha cabeça quando vou fazer um ensaio, por exemplo. Já na hora H mesmo, vai muito da tua relação com o modelo e com o que ele quer transmitir. E a pós produção são mais as edições e arranjos.

 

Por que você prefere fotografar pessoas?

Eu acredito muito na essência das pessoas. E como amo trabalhar com pessoas, encontrei nas fotografias-retrato uma forma de ajudar a mim e ao modelo, e até mesmo, ao espectador.

 

Como funciona a abordagem com seus clientes? Como construir sua identidade no universo da fotografia?

Como agora eu não cobro mais, mais do que clientes, são amigos e companheiros. Então é mais fácil de se lidar, de transmitir a essência, sem efemeridade. Você cria um campo emocional na hora do registro e consegue passar o que você realmente conhece. A minha identidade como fotografa ainda está sendo formada. Tenho MUITO o que aprender.

 

 

Teria algum site ou outros meios que queira divulgar também?

• Fortalece lá no insta (@beksfotografia)
• Facebook (Beks Fotografia)

 

Eduarda Ramos

Geminiana até demais pros padrões do signo, fã encubada de indie pop e entusiasta de memes. Diz que não beberá das águas, mas quando vê já está afogada nelas.