Para 2017… Consumo Consciente

Como em todo começo de ano nós sempre traçamos novas metas e novos projetos,  e seguindo essa linha vamos sugerir que você repense sobre seus hábitos de consumo. Todos nós amamos moda, mas será que precisamos mesmo de tudo aquilo que compramos?

Hoje, são produzidas cerca de 80 bilhões de peças de roupas por ano no mundo. Isso representa uma quantidade 400% maior que nos últimos 20 anos, ou seja, nós estamos consumindo mais do que qualquer outra geração. Isso acontece porque o ritmo de produção das marcas está mais acelerado e as tendências estão cada vez mais rápidas e passageiras.

Para quem gosta de moda esse ciclo é interminável, você compra a peça do momento hoje e amanhã já existem outras tantas novidades e por aí vai.

Mas você já pensou qual o impacto que esse consumo descontrolado tem no mundo e na vida daqueles que fazem parte da cadeia produtiva? Parece um pouco distante considerar coisas tão grandes na hora de comprar uma simples blusinha nova, mas não é se nós pensarmos que cada atitude individual gera uma consequência global.

Ainda parece distante demais? Te convido a assistir dois filmes: The True Cost (nós já falamos dele aqui) e Escravidão na Moda (disponível no GNT Play). Com eles é possível ter uma boa dimensão de quem são as pessoas atrás das máquinas de costura e como elas vivem para atender às nossas “necessidades”. Além disso, também precisamos considerar a poluição gerada por cada peça de roupa fabricada. Sabia que para produção de uma calça jeans são usados em torno de 11 mil litros de água? Essa água, normalmente, não é tratada nem reutilizada, então é puro desperdício.

Não é fácil pensar em todos esses pontos antes da compra, mas o desafio é esse! Não é parar de comprar, não é abolir as fast fashions (nós sabemos que não é para qualquer bolso comprar produtos 100% orgânicos e sustentáveis). O que importa é tentar comprar com consciência, é de forma gradativa mudar os hábitos de consumo, pensar duas vezes antes de comprar mais uma peça à toa. É dar uma checada no histórico da marca (o aplicativo Moda Livre está disponível para facilitar nossa vida) e quem sabe dar uma chance para alguma marca menor. É tentar recriar em cima das peças que você já tem em casa ou ainda dar uma oportunidade para os brechós. É pensar mais em ter um estilo próprio sem necessariamente seguir todas as tendências da moda.

Caso você queira se profundar mais no assunto, vai dar uma olhada no livro “Moda com Propósito” do autor André Carvalhal, no site Roupa Livre e no Fashion Revolution! Você não vai se arrepender 🙂

 

Texto por: Júlia Mello

 

Julia Melo
A minha relação com moda vai muito além da roupa, gosto de estuda-la como parte da história e todos os seus significados. Como diria minha grande musa Iris Apfel “Vista-se de uma maneira que diga ‘cheguei’” e é isso que eu tento fazer todos os dias!