Palavras escritas

Livros são pedaços de papel com vários símbolos que chamamos de letras em diferentes ordens. Isso são histórias, tradições, conhecimento, sentimentos e tudo o que se sabe sobre o que um dia fomos, descobrimos ou simplesmente inventamos em um momento de epifania. É incrível pensar como tantas coisas podem ser gravadas em um frágil pedaço de papel, e o efeito que essas coisas podem ter em todos nós.

Cada um de nós gosta de um tipo ou um tema, como por exemplo ficção, romance, história, poemas e tantos outros que existem, mas apesar disso somos unidos por um sentimento comum: aquela sensação insubstituível de ter um livro só seu nas suas mãos. Sentir o passar das folhas e o cheiro de cada página nos mergulha ainda mais na imensidão que são os livros. As palavras escritas sem fim nos prende, e a cada folheada prometemos que vamos parar, mas não queremos.

Personagens com personalidades tão complexas e perfeitamente explicadas que podemos apontar alguém igual à ele, ou então nos identificamos com um e sentimos que nós pensamos da mesma forma em todas as situações, até sentirmos que somos uma só pessoa, e a história ali escrita é na verdade algo que estamos vivendo. Nós somos os personagens.

Até que as páginas acabam. O fim chegou antes do que gostaríamos e a vida do personagem chegou ao fim, e a nossa também. Somos jogados de volta à vida real onde tudo continua sem todo aquele entusiasmo de um livro, mas as experiências vividas não são esquecidas. Nós mudamos o jeito que somos e agimos devido a letras e palavras jogadas em folhas frágeis à passagem do tempo, mas que ainda assim nos marcam e nos transformam.

Para aqueles que gostam, uma experiência incrível. Para os que não gostam, uma oportunidade perdida, incapaz de ser recuperada, ou talvez simplesmente não se interessem ou entendam o que é essa sensação única pode apenas ser expressada através de palavras escritas.