Os personagens excêntricos do diretor Tim Burton 

Sua excentricidade

Um jovem que possui tesouras no lugar das mãos,uma garota que vê fantasmas em sua casa nova, um barbeiro sanguinário em busca de vingança… Estes são alguns dos personagens de sucesso dos longas metragens dirigidos pelo diretor americano Tim Burton. Conhecido por seu estilo peculiar e “estranho”, o diretor, nascido em Burbank, na Califórnia, deu vida aos icônicos protagonistas Edward, do filme 

Edward Mãos de Tesoura (1991), Beetlejuice, de Beetlejuice, Os Fantasmas se Divertem (1988), e Sweeney Todd, O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet (2007). Estes personagens possuem características em comum: Os cabelos arrepiados, o semblante entristecido ou maléfico, os olhos profundos, e a maquiagem marcante, que são traços gritantes do trabalho de Burton.

O jovem Timothy William Burton teve sua infância e adolescência marcada pela exclusão e falta de entrosamento social, tanto com seus colegas de escola, quanto em seu ambiente familiar. Na maioria do tempo, o jovem Burton dedicava-se a leituras dos clássicos horripilantes do escritor Edgar Allan Poe à sessões de filmes de terror. Depois de terminar o colégio, Tim Burton entrou para o CAI (CaliforniaInstitute of Arts) para, enfim, desenvolver seu talento como desenhista. Um de seus ídolos, o ator Vincent Price, astro do gênero de terror, foi inspiração para seu primeiro curta metragem realizado durante o período que trabalhou como aprendiz de animador nos estúdios Disney. 

Tim Burton é um desenhista nato. Muito antes de se dedicar às produções cinematográficas estreladas por grandes nomes do cinema da época, como Johnny Depp, Helena Boham Carter, Christopher Lee ou Catherine O’Hara, o diretor já expressava-se através de rascunhos e histórias mórbidas que, de uma forma ou de outra, expunha suas aflições, medos e anseios… Há sempre uma procura pelo artesanal, pela ligação emocional entre projeto e diretor. Tim Burton dedica-se a histórias profundas e personagens que são uma parte de sua essência, seu álter ego. 

Em tons

O traço é extremamente livre e profundo. Apesar de coloridos (uso de tons de amarelo, roxo, azul e vermelho), os desenhos em preto e branco são sua marca registrada. Personagens com olheiras, contornos fortes, olhos grandes e muitas vezes assustadores. 

Apesar da temática sombria, Tim Burton trabalha poeticamente suas histórias, trazendo sempre ao público, uma moral e uma lição sobre os relacionamentos e a visão do “estranho” na sociedade de maneira sutil e comovente. 

Entre seus maiores sucessos no mundo dos desenhos, estão O Estranho Mundo de Jack (1993), A Noiva Cadáver (2005) Frankeweenie (2012), este último indicado ao prêmio da Academia para melhor filme de animação.  

Texto: Fernanda Varela

Carolina Costa Lima Torelli Bolota
Mente nas nuvens com os pés no chão.