O tempo e a vida

Na narrativa existe o tempo cronológico e o tempo psicológico. A vida não é diferente disso e o relógio exterior nunca é capaz de abranger totalmente o interior. Essa sensação de que o relógio humano e o mecânico nunca irão se conciliar e que o tempo é sempre escasso e fugidio sempre existiu, ao contrário da crença de que esta sensação se origina no pensamento tempo é dinheiro, na verdade ela é uma característica tão intrínseca quanto respirar.

Segundo Cazuza, o tempo não para. Ele esta parcialmente correto ao fazer esta afirmação. Afinal, o tempo cronológico não para, entretanto, o psicológico às vezes corre, outras desacelera e em momentos extremamente especiais ele para. São momentos que duram para sempre em nossas mentes. Porém, esses momentos são raros por isso se agarre a eles quando percebe-los. Viva a vida ao máximo e não procure entende-la totalmente. “Viver ultrapassa qualquer entendimento”, Clarice Lispector.

Escrito por: Ju Klaic

Fotografia  por Guilherme Rossi