O presente do dia das crianças

Nas vésperas deste dia 12, me peguei pensando sobre como presentear minha sobrinha. Pensei em comprar uma boneca, mas ela já tem quase todas existentes. Pensei em lhe dar algum jogo, mas as crianças desta geração não dão muita bola para jogos… Pensei até em lhe dar um vestidinho ou alguma roupinha que fizesse com que ela ficasse ainda mais fofa do que já é. Mas lembrei da minha já não mais tão recente infância e recordei de como odiava ganhar roupas nestas datas comemorativas. Quando já estava quase desistindo, descobri algo sobre este dia 12 de outubro que me fez repensar meu conceito sobre presentes para crianças.

Talvez você não saiba, assim como eu não sabia, mas hoje, comemora-se também o Dia Nacional da Leitura. Esta data tem como objetivo chamar a atenção de educadores, pais e responsáveis sobre a importância da leitura na primeira fase da vida. Mas será mesmo importe que as crianças leiam? Não é melhor que elas primeiro desenvolvam-se brincando, por exemplo? Diante disso, respondeu a pesquisadora em literatura infantil e infanto-juvenil e professora do Mackenzie, Marisa Lajolo: “Pesquisas contemporâneas, nas áreas da Psicologia e da Pedagogia sugerem que a leitura é muito importante na vida das crianças. Desde bebezinhos! Leitura feita por adultos afetivamente significantes para as crianças, como  pais, avós, tios e professores, são importantes e frutificam. Acredita-se que a familiaridade com o objeto livro, e com a voz que lê histórias e poemas num contexto afetivo, torna-se uma memória positiva na vida das crianças, que com isso desenvolvem gosto pela leitura.”

Se olharmos para o calendário, veremos várias datas voltadas ao incentivo à leitura, como o Dia Mundial do Livro, o Dia Nacional do livro infantil, o Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil, o Dia Nacional do Livro, entre outros! Esta enormidade de datas que buscam difundir a importância da leitura só existe porque as pessoas não lêem com frequência. Se transmitirmos às crianças a paixão pela leitura, talvez em um futuro próximo, não sejam necessárias datas para que a população deste tão literário Brasil faça da leitura um hábito.

Voltando à história da minha sobrinha, cheguei à conclusão de que deveria presenteá-la com um livro. Pois as bonecas, dentro de alguns anos, serão todas esquecidas, as peças dos jogos serão todas perdidas e as roupas ficarão todas pequenininhas. Já os livros, ficarão para sempre guardados na memória. Agora, só me falta o dinheiro para comprá-lo!

Texto por: Matheus Siqueira

Já ouviu falar em couchsurfing?

Aline Fatima

Paulista de coração, perdida no mundo dos livros e noticias. Um sonho? poder viajar o mundo ouvindo as historias de seus personagens.