O poder do preto no Met Gala

Colaboração entre Internacional e Moda

Um dos eventos mais esperados do ano, o consagrado Met Gala é conhecido também como o Oscar da Moda. Celebrado anualmente, o evento ocorre desde 1995 com o fim de arrecadação para o Instituto de Figurinos do Metropolitan Museum of Art e abertura de uma exposição especial no museu. O evento ocorreu nesse ano no dia 7 de maio e, tradicionalmente, no Upper East Side de Nova York e contou com um tema mais devoto.

Os artistas vão sem medo de errar e o evento conta com o tapete vermelho mais exuberante de todos. Um convite custa em média 30 mil dólares e uma mesa precede o tapete vermelho custa, aproximadamente, 275 mil dólares.

Por ser um evento de alto escalão, o Met Gala sempre reunia grande parte da elite caucasiana, socialites e grandes nomes da moda. Porém, os negros vêm ganhando visibilidade nos últimos anos, e uma das presenças mais famigeradas todos os anos é a de Beyoncé, que não pôde comparecer nesse ano. Neste ano, uma das estrelas negras mais esperadas foi a cantora e compositora Rihanna.

A estudante do 4 semestre de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie e integrante do Coletivo Negro Afromack, Aline Bernardes, 19, comenta sobre a atuação dos negros no evento.

“O que podemos distinguir dos outros é a visibilidade dada os negros. De forma geral, vê-los se apropriando do tema e transformando em luta como o caso da Lena Waith ou contestação no caso da Rihanna, mostram que para ter mais negros nesse espaço só basta dar oportunidade”, afirma a estudante.

A seguir, você pode conferir as análises dos looks dos negros que marcaram presença  no evento, que além de serem esteticamente bonitos, continham ideologias e críticas.

 

Rihanna

Rihanna

Rihanna honrou seu papel de anfitriã roubando a cena no tapete vermelho. O motivo? Seu look era deslumbrante! A cantora foi vestida de Jorge Mario Bergoglio, e cada detalhe do vestido, capa e acessório na cabeça foi bordado artesanalmente (foram mais de 250 horas para      ser costurado!). O look foi criação de John Galliano para a Maison Margiela.

 

Chadwick Boseman

Chadwick Boseman

Um dos poucos homens que honrou o tema do evento ao escolher sua roupa e por isso foi um dos destaques da noite. Apostou num look branco com detalhes bordados em dourado bem marcantes da Versace e sapato Louboutin. Ele foi chamado de “super- herói religioso” pelos críticos. “Chadwick Boseman, honra seu perfil em Pantera Negra, quando se torna um dos poucos homens saíram do comum e não tiveram medo de arriscar nesse Met Gala, faz um papel que foi assumido por poucos homens negros na história”, comenta Aline.

 

 

 

Janelle Monae

Janelle Monae

Não tem como negar que cada vez mais Janelle está ousando em seus looks. O vestido monocromático do Marc Jacobs contrasta com o batom vermelho vívido e essa combinação reforça a ideia da mulher forte e poderosa que ela é. Relacionado ao tema, o chapéu foi escolhido para remeter auréolas.

 

Cardi B

Cardi B

Gravidíssima, Cardi B não optou pelo conforto no tapete vermelho, muito pelo contrário. Ela usou um vestido bordado a mão da Moschino (que parece ser bem pesado) e não abriu mão do salto alto. Ela merece créditos por estar super de acordo com o tema e pela escolha do look levando em consideração sua gravidez.

 

 

 

 

Zendaya

Zendaya

Sempre surpreendendo com seus looks, nesse ano Zendaya estava vestida como a heroína francesa Joana D´Arc. Ela apostou em um vestido cinza de cota de malha da Versace simulando uma armadura. O modelo de cabelo curto também era utilizado pela heroína. “A Zendaya estampando e assumindo um papel de guerreira, vai além da profissão de atriz, mas uma mulher que luta na vida por espaço, respeito e igualmente racial.”, aponta a ativista Aline.

 

Gabrielle Union

Gabrielle Union

Usar cores vivas não é novidade para Gabrielle, mas no amarelo ela acertou em cheio. A fenda do vestido trouxe um ar libertino, o que é ousado levando em consideração o tema do evento. As sandálias plataformas amarelas Stuart Weitzman complementam o look all yellow. Apesar de o vestido ser lindo Gabrielle poderia ter brincado um pouco mais com tema nos acessórios.

 

 

 

 

Winnie Harlow

Winnie Harlow

 

A Winnie apostou em um vestido branco Tommy Hilfiger, que é uma cor muito usada nos elementos sagrados e que ao mesmo tempo faz menção a um vestido de noiva. Foi muito criativa!


Cynthia Erivo

Cynthia Erivo

Seu vestido Valentino é de tirar o fôlego: o modelo, a cor, o tecido aveludado… De fato, ao olhar pela primeira vez, apesar de lindo, parece estar fora do tema, mas o detalhe está em suas sobrancelhas. Ela resolveu fazer algo inusitado ao chamar a atenção para essa pequena parte do corpo, e fez isso muito bem ao decorá-las com jóias formando coroas. A aposta ousada e diferente da atriz de dar destaque a um local não muito explorado fez com que ela se destacasse no tapete vermelho.

 

 

 

Solange Knowles

Solange Knowles

 

Solange fez algo improvável, e poucas horas antes do evento ela resolveu pedir a ajuda de seus seguidores no Twitter por estar indecisa com o que usar. O look escolhido, assinado por Iris Van Herpenk é inspirado nas imagens que interpretam Maria, mãe de Jesus, como uma mulher negra.

SZA

SZA

Fugindo totalmente do seu estilo habitual a cantora optou por um vestido rosa Versace com detalhes delicados. A bota de estilete de cano alto é maravilhosa, e o acessório na cabeça é tão delicado que faz com que pareça um anjo de verdade. “A cantora SZA desfilou como um anjo nas escadarias vermelhas. Mostrou toda a leveza da mulher negra.”, comenta a estudante.

Uma preta de personalidade forte e em fase de crescimento. Estudante de jornalismo, que ama fotografia. Sempre aceita um desafio e “dá a cara a tapa” em tudo.