O duro caminho do vice-campeão

Desde o início das competições, todos só falam dos campeões. Nada mais justo, eles fizeram o que ninguém fez. Todo torneio tem um vencedor, mas também tem aquele, que bateu na trave, quase chegou lá, o vice-campeão. Os vencedores merecem a alegria, trabalharam muito duro para isso. Pode até ter contado com a sorte, mas ninguém chega perto do título apenas com sorte. Do mesmo modo, não foi azar do que perdeu, talvez aquele não fosse seu dia.
O
Sempre esquecido, ignorado ao fim de um longo e árduo caminho, tão árduo quanto o do campeão. O vice se esforçou, deu seu melhor, chegou ao limite, mas aí você percebe que o seu melhor não foi suficiente. Conquistou tudo que o número um, exceto no último momento, pois, sempre alguém deve sair vencedor. Depois disso, o que lhe resta? A dor, a tristeza, a solidão da derrota.
S
Em uma vitória os envolvidos se abraçam, a torcida comemora junto, mas na derrota, muitos se isolam, pensam o que poderiam ter feito de diferente. Isso não deve ser assim, ganha-se junto, perde-se junto. A derrota necessita de união, talvez até mais do que a vitória. Perder dói, machuca ver todo o trajeto resultar em nada, por isso, junte-se com aqueles que estiveram com você ao longo do caminho. Procure entender o que deu errado, aprenda com a derrota, e evolua.
M
Mais uma vez, o que fica para o “perdedor”? A lição, a emoção, o esforço, um caminho vitorioso. Sim, vitorioso, ninguém fica em segundo só perdendo, o vice ganha, ganha tudo, exceto o final,. Saiba que este não é o fim, hoje tristeza, mas amanhã, trabalho, dedicação, para, na próxima oportunidade, o seu melhor ser suficiente e você ter a tão sonhada vitória, e então todo o trajeto duro, será convertido na magia da vitória, tudo terá valido a pena. Parabéns vice, você fez seu melhor, agora vai lá, vai ser campeão na vida.