O amor pelo exagero no MET Gala

A primeira segunda-feira de maio sempre é um dia importante para o mundo da moda, afinal, é nela em que acontece o MET Gala – evento que celebra a inauguração da nova exposição fashion do Museu de Arte Metropolitana de NY e arrecada fundos para Costume Institute Benefit, departamento responsável pela mostra.

O tema deste ano foi “Notes on Camp”, inspirado no ensaio de Susan Sontag, celebrando o amor pelo exagerado, extravagante. Camp é amor por tudo que não é natural. E esperávamos ver exatamente isso no tapete rosa – não poderíamos almejar outra coisa vinda dos co-anfitriões da edição: Serena Williams, Harry Styles e Lady Gaga.

Os convidados, selecionados por Anna Wintour, editora-chefe da Vogue EUA, deram o que falar em seus looks: uns inspirados em personagens de contos de fada, outros abusando de cores e formas geométricas, mas todos com muita originalidade.

A estrela de “Nasce Uma Estrela”, Lady Gaga, uma das mais esperadas da noite, fez quatro trocas de look – fazendo de sua entrada uma verdadeira apresentação. “Lady Gaga arrasou, mas ela sempre seguiu o camp, e para mim ela entregou e juntou suas duas fases, a nova, mais chique, e a antiga, mais camp.” Diz Julia Marto, estudante do terceiro semestre de Jornalismo no Mackenzie.

Serena Williams ousou ao mesclar um vestido amarelo fluorescente com tênis Nike.

Jared Leto também chamou a atenção de todos ao aparecer carregando uma réplica de sua própria cabeça – referencia ao desfile de inverno da Gucci, inspirado no manifesto ciborgue.

Mas, sem dúvida, a responsável pelos maiores elogios foi Zendaya, que mais uma vez ousou e surpreendeu à todos ao usar um vestido da Tommy Hilfigher que passou de um volumoso em cor cinza para um bufante azul em um passe de mágica.

Em compensação, muito se esperava de figurinos de outros artistas, como foi o caso de Harry Styles – famoso por ousar, apareceu no tapete rosa com um macacão em tule preto e repleto de transparência -, Shawn Mendes e Miley Cyrus. “O tema se propunha a trazer fantasias muito criativas, e encorajava para que fosse mais cafona. Esperava mais looks drag queen. Senti que as pessoas sequer se esforçaram para seguir o tema. Eu achei que tinha bastante gente com looks ousados, mas não camp. Não sei se não entenderam o tema, mas não senti uma identificação entre os participantes do baile e a proposta.” Continua Julia.

Confira alguns dos looks do MET Gala 2019:

Texto por: Zeinab Bazzi