No metrô também tem Arte

Você já se pegou admirando alguma parede ou monumento em algum metrô em suas viagens rotineiras? Quantas vezes esses painéis simples te prenderam a atenção?

O cotidiano de todo paulistano é marcado por muita correria e agitação e grande parte dela se passa em nossa grande rede de metrô. E para nos distrair, amenizar o cansaço de cada dia somos agraciados com a Arte.

Em várias plataformas foram colocados painéis, como na estação Consolação e Trianon-Masp da linha verde, Anhangabaú da linha vermelha e São Bento da linha azul.

tomie
“AS QUATRO ESTAÇÕES”, mosaico de Tomie Ohtake, 1991
trianon masp
“UM ESPELHO MÁGICO DA PINTURA NO BRASIL”, painel de Wesley Duke Lee, 2001
anhamgabaú
“IN VITRO”, instalação de Mario Fraga, 1999
são bento
Sem título, painel de Odiléa Toscano, 1990

Há também pinturas nas paredes das estações, por exemplo na Sé da linha vermelha, Sacomã e Chácara Klabin da linha verde.

sé
“COMO SEMPRE ESTEVE, O AMANHÃ ESTÁ EM NOSSAS MÃOS”, mural de Mário Gruber Correia, 1979
Sacomã
“ÁRVORE SUBTERRÂNEA”, painel de Alberto Nicolau, 2010
chacara klabin
“TOTEM FLORAFAUNA”, painel de Marcos Lopes, 2009

E também algumas esculturas e peças em exposição, como na estação Ana Rosa e Jardim São Paulo da linha azul, Clínicas e Santos-Imigrantes da linha verde, Barra funda e Pedro II da linha vermelha.

esculturas
“FIGURAS”, escultura de Lygia Reinach, 1992

 

ayrton
“VOO DE XANGÔ”, escultura de Gilberto Salvador, 1999
clinicas
“O VENTRE DA VIDA”, instalação de Denise Milan e Ary Perez, 1993
santos
“ESFERA”, escultura de Marcos Garrot, 2009
barra funda
“A RODA” de Emanoel Araújo, 1990
pedro II
” FIGURAS ENTRELAÇADAS”, escultura de Antônio Cordeiro, 1990

(Fonte das imagens: http://www.metro.sp.gov.br/cultura/arte-metro)

Camila Mattos Varella

Cinemateca ambulante, ansiosa, hiperativa, estressada e meio louca. Mas quem foi que disse mesmo que existe pessoa perfeita?