Nas passarelas do preço acessível

Com peças baratas e bonitas, o tradicional bairro do Brás, localizado na região central de São Paulo, está reinventando a moda paulista. 

O Brás se tornou ponto de referência quando o assunto é moda. Pessoas do Brasil todo vêm ao bairro com o intuito de comprar as peças desejadas de cada estação – seja para reinventar o guarda roupa, seja para revender – e cumprem sua missão sem grandes dificuldades.

Em um levantamento feito pela revista Veja, o bairro recebe, em suas 5500 lojas, 100.000 pessoas diariamente. Mas qual o segredo desse sucesso? De acordo com a estilista Erika Jun: “O Brás tem o poder de tornar a roupa muito acessível, aquela roupa que a menina da periferia vê a Anitta usando e quer. Onde você compra uma calça de 30 reais? Ele possibilita uma moda igual à todos”

A variedade de produtos que o bairro oferece é gigantesca. A maioria das lojas são adeptas da tendência fast-fashion, na qual, semanalmente são lançadas novas coleções. Espera-se que os clientes retornem às lojas com maior frequência e exigência. “Chegou num ponto em que fomos obrigados à ceder, a moda está em constante transformação, ninguém quer estar vestido da mesma maneira. Há algum tempo, era mais conceito, hoje em dia há mais variedade”, diz Neuza Bitencourt, comerciante do bairro há 10 anos.

Marcas como Mango, Zara, Amaro e Berska, servem de inspiração para as lojas do Brás – é possível encontrar modelos similares com valores mais em conta.“O Brás existe de uma forma que outros bairros não podem ter como parâmetro”, afirma Petrina Souza, dona de loja no Jardim França.

A qualidade das peças encontradas em lojas de shopping é a mesma que se vê em boxes do Brás.Faturamos pela quantidade. Enquanto uma loja de shopping faz 50 peças de um modelo, lucrando 300% em cima de cada, nós fazemos 300 peças lucrando 30%”, explica o empresário Ali Bazzi.

“Com 100 reais, a gente reforma nosso guarda roupa e se veste igual ao pessoal da TV”, explica Ana Beatriz Carvalho Dias, estudante do terceiro semestre de Jornalismo no Mackenzie. Os lojistas do bairro, que já oferecem preços baixos, costumam fazer promoções mensalmente. Para atestar isso, basta andar na Rua Oriente e ver peças com descontos de até 30%.

 

Texto por: Zeinab Bazzi