Na batida do Juca

Valentina Rosa de Aquino é uma estudante de jornalismo apaixonada por natação. Segundo ela, a natação é: “  um esporte muito bonito”. Ela nada desde pequena e esse sempre foi seu maior hobbie. Isso mudou quando ela entrou para a Tubateria. Hoje, “a bateria é o meu maior hobbie”.A nova atividade fez a estudante desenvolver sua mais recente paixão: torcer no Juca.

A mackenzista conta como decidiu entrar para a Tubateria: “quando entrei no Mackenzie eu falei para mim mesma que eu ia entrar na bateria. Fui com a cara e com a coragem, eu não desisti porque não tinha ninguém conhecido”. Depois ela conta do seu primeiro Juca, ano passado: “ Fui sozinha, não conhecia ninguém, só meia dúzia de pessoas da bateria, quando eu cheguei lá acabei conhecendo todo mundo e a bateria é uma grande família, eles me abraçaram de uma forma que eu nem imaginava”.

Valen, como suas amigas a chamam, gostou tanto do Juca que  as convenceu a entrarem para a bateria. Neste ano, todas foram para o evento que foi “três vezes mais incrível”, já que a estudante estava com suas amigas.

Mas não são só as amizades que fazem do Juca uma experiência incrível para alguém da bateria. “A vibração de você estar ali na torcida… as vezes você nem presta atenção no jogo. Você está tão preocupado em tocar direito. Eu não me imagino fazendo outra coisa nos jogos”, conta. “Eu não sei explicar muito bem a sensação de estar lá, mas é tudo muito bom. É sempre você com seus amigos, curtindo. Ai você vai para jogo, fica triste quando perde, feliz quando ganha. A gente faz o ‘loco, loco’”, relembra com brilho nos olhos.

Valen também fala sobre a escolha do curso: “Eu sempre quis trabalhar na radio ou na TV. Minha segunda opção de curso era rádio e TV, mas eu achei que o jornalismo ia abrir mais áreas para mim”. E o porquê de escolher o Mackenzie”quando eu conheci o Mackenzie eu me apaixonei por aqui. Não me arrependo da minha escolha, o Mackenzie é uma ótima faculdade. Eu vim no Mackenzie day e fiquei encantada com os estúdios de radio, televisão e fotografia. Eu nunca me imaginei estudando no Mackenzie, mas hoje não troco por nada”.

A estudante de 19 anos revela, também, que quer trabalhar na “Jovem Pam. Na TV, acho que em qualquer lugar, Globo, Sbt, qualquer lugar”. Por último, conta que gostaria de conhecer o mundo. “Um lugar é muito complicado para mim, porque quero viajar o mundo todo”, brinca quando é questionada de que lugar queria conhecer. ” Mas eu queria ir para praias do  Hawaii ou Caribe”. Assim, quem sabe ela poderá realizar a sua paixão mais antiga: nadar.