Estátua de poeta Carlos Drummond, localizada no Rio de Janeiro (Flickr - Carlos Varela)

Morte ao poeta

Assassinemos o poeta,
o último pilar da humanidade
nesta sociedade torta.
Matemos o ser almador e alcançaremos felicidade.

Assassinemos o poeta,
aquele que vive nesta sociedade torta,
este ser almador que ama a humanidade
e por isso nunca alcança felicidade.

Assassinemos o poeta
aquele ser almador que fez casa na humanidade
e que se perdeu nesta sociedade torta
junto com a não alcançada felicidade.

Assassinemos o poeta,
o último pilar da humanidade
nesta sociedade torta.
Matemos o ser almador e alcançaremos felicidade.

 

Escrito por: Ju Klaic

Estátua de poeta Carlos Drummond, localizada no Rio de Janeiro (Flickr – Carlos Varela)