Mergulhei…

Mergulhei no absurdo do ser.

Mergulhei nessas águas ludibriosas.

Mergulhei em direção a terras emersas.

Mergulhei ao anoitecer.

Mergulhei e ninguém percebeu.

Mergulhei e encontrei a solidão do eu.

 

Antes disso eu vestia uma máscara,

ela já não me cabe agora.

Pois quando voltei me vi e não reconheci.

Olho-me no espelho, me estranho com tudo por isso me emudeci.

 

Antes eu flutuava naquele vácuo imensurável.

Sozinha, terrivelmente solitária naquele nada impenetrável.

Lá eu ansiei pela saída, mas por fim me apaziguei

Eu, lá, mergulhei…

 

Escrito por: Ju Klaic

Imagem de mergulhador (Flickr – Felipe Censi)