óculos de realidade aumentada

Mergulhe em uma Realidade Aumentada

E se a gente misturasse a nossa realidade com qualquer outra que possa ser criada por um computador? Esse gostinho foi dado na oficina Render 360° e Realidade Aumentada, organizada pela LABi na Semana Viver Metrópole. A organizadora desse evento é um escritório de aprendizado que repensa conceitos de treinamento profissional. Trata-se de um projeto de cunho acadêmico e colaborativo, voltado para todos os campos relacionados à Arquitetura, Urbanismo e Design. Feito, essencialmente, por alunos e para alunos – na FAU-Mackenzie (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo).

Clique aqui para viver uma experiência em Realidade Aumentada

A oficina ensinou como podemos criar a tal da realidade aumentada com óculos que podem ser feitos até de papelão.  É necessário também programas de modelagem 3D e um smartphone. Por meio de um computador foi construído um ambiente, que seria nosso campo de visita. Todas as modificações necessárias foram feitas para transformar uma imagem em uma composição 360°.

Após a criação do ambiente e exportado em um smartphone, um aplicativo foi instalado para que pudéssemos ver e sentir como se estivéssemos no local.

Falando mais sobre a realidade aumentada

Fabiana Andrade, aluna do 6º semestre de arquitetura e representante do DAFAM, acha que é um jeito diferente da pessoa se relacionar com o que está na tela, como no cinemas e projetos, sendo uma forma de estar mais próximo daquilo que é transmitido.

Miguel Lima, membro da LABi e instrutor da oficina, comenta que a realidade aumentada tende a crescer cada vez mais, principalmente quando chegar na indústria do entretenimento. Isso ajudará não só os arquitetos a demonstrar seus projetos, mas também ter uma diversidade maior no cinema, arte, publicidade, saúde, entre outros. Ele explica um pouco de sua percepção em relação a esse tipo de avanço: “O arquiteto desenvolve todos os ambientes, mas no final a apresentação de arquitetura é muito estática, o professor não tem o mesmo sentimento de quem projetou aquilo e a realidade aumentada transmite mais que uma imagem. ”

Bem otimista, ele ressalta: “É importante a gente olhar para as novas tecnologias sem ceticismo e sendo bastante analítico. “

 

Texto e imagem feitos por: Thiago Nakano

Revisão: Isabela Matias

Fonte