Medo cabe na rotina?

Demorei para sair da cama. O celular despertou, mas não tinha forças para levantar, cedi a tentação de ativar na função soneca e desejar que ela durasse para sempre.  Não sei explicar o que aconteceu comigo, de repente o mundo pesou nas minhas costas e pressão me impedia de sair da cama.

A pequena noção de reponsabilidade que estava acordada em mim insistia para que eu me levanta-se mas o resto do corpo ainda dormente se nega. Ainda não conseguia entender porque me sentia assim quando a maioria das pessoas encarava isso como normal.

O dilema de viver somente para trabalhar sempre me assustou. Imaginar que todas as coisas que planejei viver, todos os encontros com amigos, toda uma vida social que teria que se encaixar nos espaços deixados vagos pelo trabalho tudo isso me apavorava.

Era essa a razão pela qual não conseguia levantar hoje. O medo de me tornar assim, de me render a rotina de que tenho tanto medo. Acordar as 05:30 da manhã todos os dias e embarcar na louca rotina estava me fazendo mal. Tanto ao corpo quanto a minha alma.

A última soneca toca já eram 6:00 da manhã. Arrasto cada membro devagar para fora da cama e caminho a passos lentos e desastrados para o banheiro. Infelizmente não é hoje o dia em que vou sair dessa rotina, penso encarando meu reflexo cansado no espelho.

Foto por: Maria Martinez

Já sabe como se comemora as festas de junho em outros países?

Aline Fatima
Paulista de coração, perdida no mundo dos livros e noticias. Um sonho? poder viajar o mundo ouvindo as historias de seus personagens.