Levando a vida mais leve

Mariana de Oliveira Freitas, 21, aluna do quarto semestre de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ela escolheu aqui pela qualidade de ensino. Transferida de outra universidade, diz que o ensino da atual instituição não tem comparação. Ela diz que, no Mackenzie, uma de suas melhores experiências foi escrever para a revista Veracidade, em que realizará duas matérias durante este semestre. “Me sinto livre para escolher temas mais leves, eu tenho um tempo maior para a apuração por ser uma revista”.

Ao entrar no curso de Jornalismo, além de amadurecer, ela diz ter passado a prestar muito mais atenção nas pessoas e nas histórias que elas têm a contar. “Eu aprendi a me interessar muito mais no que as pessoas têm a me dizer”, termina.

Aventureira nata, Mariana conta que há um tempo foi visitar uma vinícola no Chile junto a seus pais, dentro de uma fazenda envolvida por uma história de terror. Depois de conhecer toda a fazenda, tiveram um grande susto dado pelos trabalhadores do local. Outra aventura foi sua ida à Las Vegas.

Tem como hobbies jogar vídeo game, ouvir músicas e praticar esporte. “Para tudo o que faço, ouço música”, completa mariana. Ela diz ter tido uma grande oportunidade de jogar tênis nos Estados Unidos, mas acabou deixando a oportunidade de lado ao focar em seu futuro acadêmico. “Hoje, tenho amigos que estão bem de vida jogando tênis no exterior”. Além de tênis, já praticou ballet, futsal, handball e basquete.

“Eu nunca levo nada a sério. Para mim, a vida é uma brincadeira”, conta Mariana ao ser questionada sobre o que a diferencia das outras pessoas. Ela diz que sempre leva tudo na esportiva e isso faz com que ela resolva as coisas mais facilmente. Gosta muito de frequentar a casa de seus amigos mackenzistas, além de se interessar muito por lugares novos, principalmente cafés e restaurantes.

Além de ansiar muito viajar sozinha para o Egito, seu próximo objetivo de vida é morar sozinha. Pensa em dividir apartamento com algum amigo próximo à Universidade. Mariana, que veio do interior fala que uma de suas maiores conquistas foi ter se mudado para a capital paulistana. “Vim a fim de cursar aquilo que amo”, diz.

Em relação à carreira, Mariana relata que deseja muito ser a primeira jornalista a dar a notícia da cura do câncer. Ela diz ser muito envolvida com saúde e isso seria muito gratificante a ela.

Texto por Guilherme Fernandes Annis