Livros alemães para conhecer! – Copa

Ler é bom! Lemos por motivos diversos. Uns lêem por prazer, como forma de divertimento, outros lêem por obrigações, por causa dos vestibulares concursos e matérias da faculdade. Mas apesar das circunstâncias, toda leitura é boa. Ela nos enriquece enquanto cidadãos do mundo, nos ajuda a fazer conexões, nos deixa mais criativos, perceptivos e sensíveis.

Às vezes, pelo resultado de tantas leituras somadas ao longo da vida, nossa mente se perde entre a realidade e a ficção. Um moinho de vento nunca é apenas um moinho de vento após a leitura de Dom Quixote de La Mancha. Animais juntos em uma fazenda sempre estarão tramando alguma coisa, após a maravilhosa leitura de A Revolução dos Bichos. Um detetive que soluciona um crime indecifrável, sempre será relacionado ao Sherlock Holmes.

Percebe-se que a Literatura está tomando conta de sua vida quando você encontra, vinte mil léguas abaixo do nível da ficção, a vida, desaguando na terceira margem de um caudaloso rio de fruições.

Dando seguimento à nossa série, hoje, a Etc e Tal te recomenda alguns livros alemães, para que você talvez possa navegar por mares nunca dantes navegados.

Os Sofrimentos do Jovem Werther (Johan Wolfgang von Goethe)  

O romance que inaugurou mundialmente o período do Romantismo, não é recomendado para aqueles que estão sofrendo de amor. (É sério!). No século XVIII, uma onda de suicídios tomou a Alemanha por causa deste melancólico livro.

Este talvez seja o maior clássico alemão. Neste romance epistolar, Werther, revela ao amigo Wilhelm, todo seu amor por Charlotte, uma linda moça prometida a outro rapaz.

Os Bandoleiros (Friedrich Schiller)

Uma peça em cinco atos, também é uma variação da parábola do filho pródigo.  Juntando seus conheci­mentos a respeito  da mitologia grega, da Bíblia e da medicina, Schiller deu à luz uma obra selvagem, drástica e – em certo sentido e em algumas passagens – paradoxal, mas cheia de dinamismo, vigor e ímpeto.

Contos dos Irmãos Grimm (Jacob Grimm e Wilhelm Grimm)

No início do século retrasado, os irmãos Grimm criaram histórias que são lidas e encenadas para crianças até os dias de hoje. Jacob e Wilhelm em 1812, publicaram uma coletânea de 53 contos de fadas que, de tempos em tempos são filmadas novamente e lançadas ao público. Estão reunidas nesta coletânea as histórias da Chapeuzinho Vermelho, Branca de Neve e João e Maria, por exemplo.

A Montanha Mágica (Thomas Mann)

Autor premiado com o Nobel de Literatura em 1929. Em A Montanha Mágica, Mann cria a história do jovem engenheiro Hans Castorp. Durante uma inesperada estadia em um sanatório para tuberculosos, Hans relaciona-se com uma série de personagens enfermos que encarnam os conflitos espirituais e ideológicos que antecedem a Primeira Guerra Mundial.

*Bônus: A Metamorfose (Franz Kafka)

Kafka não era alemão e não morou na Alemanha. Mas seu livro de maior sucesso, que é reverenciado até hoje, foi escrito em alemão. Então, A Metamorfose não poderia faltar nesta lista.

“Certa manhã, após um sono conturbado, Gregor Samsa acordou e viu-se em sua cama transformado num inseto monstruoso”. Assim se inicia a novela que mudou para sempre a história da Literatura Fantástica. Ao longo de cerca de 80 páginas, o leitor vai conhecendo a angustiante situação deste  peculiar personagem da Literatura internacional.

– “Conforme lemos a obra de Kafka somos levados abruptamente para dentro de um quarto pequeno e escuro. Ficamos presos neste quarto junto com Gregor Samsa e assistimos em primeira mão sua jornada por uma total metamorfose. Dentre os vários sentimentos invocados pela obra, Kafka deixou sua crítica fortemente marcada no efeito da indiferença. Viajamos pela obra as sombras da angustia, da tristeza e por fim, talvez, do alivio.” Disse Paulo de Andrade Arab, estudante do curso de Letras do Mackenzie.

 

Clique aqui para conferir livros da Literatura uruguaia!

Matheus de Siqueira Nunes

Um apaixonado por futebol, que assiste basquete semanalmente, joga truco ocasionalmente e tenta viver poeticamente…