Jogos Modernos

A cada quatro anos, atletas de centenas de países se reúnem num país sede para disputarem um conjunto de modalidades esportivas. A própria bandeira olímpica representa essa união de povos e raças, pois é formada por cinco anéis entrelaçados, representando os cinco continentes e suas cores. A paz, a amizade e o bom relacionamento entre os povos e o espírito olímpico são os princípios dos jogos.

A origem das Olimpíadas vieram da Grécia, por volta de 2500 a.C como uma forma de homenagem aos deuses. Porém só em 776 a.C como forma organizada e com participação de atletas das cidades-estado. No ano de 392 d.C, os Jogos Olímpicos foram proibidos pelo imperador romano Teodósio I após converter-se ao cristianismo, pelo fato das Olimpíadas ser uma manifestação politeísta.

Na Era Moderna, os Jogos Olímpicos foram retomados em Atenas no ano de 1986 por iniciativa do francês Pierre de Fredy, conhecido como Barão de Coubertain.

Vale ressaltar que as Olimpíadas é palco de muitas manifestações políticas. Nas Olimpíadas de Berlim (1936), o chanceler alemão Adolf Hilter não ficou para a premiação do atleta norte-americano negro, Jesse Owens. Só pelo fato de acreditar na superioridade da raça ariana. Nas Olimpíadas de Munique (1972), um atentado do grupo terrorista palestino Setembro Negro matou onze atletas da delegação de Israel. Nas Olimpíadas de Moscou (1980), em plena Guerra Fria, muitos países do Ocidente boicotaram o evento, desencadeando no choro do ursinho Misha na abertura dos jogos. Emocionante e uma marca indelével nos espectadores. Por essas e outras razões que as Olimpíadas são um evento diferenciado.

 

Texto por Gustavo Biazolli