Hult Prize: reuni estudantes do mundo todo para falar sobre refugiados

A edição do prêmio Hult Prize de 2017 discutiu a questão dos refugiados no mundo. O evento consiste em unir alunos de universidades ao redor do globo com projetos que ajudam e invistam no bem estar e qualidade de vida dos refugiados. Pedro Vieira Fernandes, aluno de Jornalismo, no Mackenzie, participou do prêmio junto a outros mackenzistas.

Projeto

O projeto surgiu a partir da refugiada Joana, que veio da guerra civil da Síria a procura de uma vida melhor no Brasil. Com espírito empreendedor, Joana buscou Paulo, um economista, que possui uma aceleradora de negócios e também é estudante de mestrado do Mackenzie. Juntos os dois iniciaram uma parceria e desenvolveram a ideia de um portal, aliado a um aplicativo que tem o intuito de ajudar aos refugiados a se adaptarem no Brasil.

A plataforma online desenvolvida pela equipe, tem como objetivo a interação dos refugiados, para que eles possam se ajudar tanto na adaptação, quanto no mercado de trabalho. O principal para o grupo é capacitar essas pessoas para que elas possam reestruturar a vida em um novo país e não viver apenas de doações. “Muitas vezes, eles (os refugiados) não sabem a língua do país em que estão imigrando e isso facilitaria a comunicação entre eles”, comenta o mackenzista. De médio a longo prazo, eles querem disponibilizar cursos profissionalizantes para capacitar os usuários e lançar um aplicativo da marca.

Além da questão social, o projeto visa trazer esperança para aqueles que estão em meio a uma guerra. “O Brasil é um dos países que mais recebe refugiados na América Latina”, afirma o estudante, que mostra a importância de iniciativas como essa no país.

Evento

Pedro está na área de comunicação da equipe, enquanto os mackenzistas Paulo e Carolina cuidam da parte administrativa. O grupo passou por uma seleção aqui no Brasil passando para a próxima fase que os levaria a Boston, para uma semifinal com mais de 300 equipes. O prêmio é organizado por uma faculdade de economia, a Hult International Business School junto a Fundação Bill Clinton. O encontro visou selecionar os melhores projetos para realizar uma final em Nova York. O vencedor ganha um milhão de dólares em investimentos.

“Foi um grande privilégio estar lá, conhecemos pessoas geniais do mundo todo. Eles querem pegar as maiores cabeças universitárias em prol de um bem maior”, comenta o estudante de jornalismo. Esse é o maior prêmio de empreendedorismo social universitário e todo ano eles discutem um tema mundial que está em alta.

O mackenzista conta que, mesmo não terem passado para a fase final, participar desse evento foi muito importante para fazer contatos e parcerias com outras pessoas. “Foi um evento extremamente organizado e formal, mas ao mesmo tempo era um ambiente universitário e muito legal, foi incrível conhecer gente do mundo todo”, lembra Pedro. Hoje o projeto está em andamento e em movimentação.

O projeto é um de muitos que pensa nessa questão de mobilidade social e da questão dos refugiados. “É um prêmio que vai ajudar a uma equipe, mas o mais importante é que tem toda uma galera que está pensando nesse problema mundial”, finaliza o mackenzista.

Foto por: Arquivo pessoal