Experiências vividas em um intercâmbio

Jovens contam quais foram os desafios e aprendizados que tiveram ao viver em outro país

Em agosto de 2014, Laís Lourencini, 19 anos, deixou a casa em que mora na cidade de Santo André para estudar um ano em Copenhague, capital da Dinamarca. As expectativas da jovem, que pensou muito antes de ir, foram superadas. Ela afirma que foi uma das melhores experiências de sua vida: “Amadureci muito nesse intercâmbio, aprendi a falar dinamarquês, esquiar e até tive um Natal cheio de neve, e acima de tudo ganhei novas famílias”, conta a estudante que morou em três casas diferentes durante sua passagem pela Dinamarca. Sobre os desafios vividos, Laís conta que o maior de todos foi ter ficado alguns meses sem ver a luz do dia, pois durante o inverno o sol se punha enquanto ela estava na escola. Mas outra dificuldade foi na hora da despedida “Ficar longe da minha família brasileira e dos meus amigos foi um grande desafio, mas eu diria que o pior foi ter de me despedir de tudo e todos que eu amo na Dinamarca”.

Beatriz Molinaro, 19 anos, é vendedora e voltou de seu intercâmbio em Londres, capital da Inglaterra, há cerca de quatro meses. A jovem acreditava que iria apenas melhorar seus conhecimentos na língua inglesa, mas o que ganhou foi muito além disso: “Conheci pessoas de todos os lugares do mundo, novas culturas, e o melhor de tudo foi que aprendi a ser independente”, relata a estudante que, apesar da saudade de seus familiares e amigos, gostou muito da experiência que viveu.

Já Stela Sokolnik, 18 anos, embarcou rumo à cidade de Dromcolliher, no condado de Limerick, interior da Irlanda, em agosto de 2014. A estudante de publicidade e propaganda queria viver novas experiências, por isso decidiu fazer um intercâmbio, que a ajudou a perder a timidez. Entre as maiores dificuldades, esteve a de ficar longe de lojas e shoppings, além de uma cultura típica do interior: “A mentalidade de casar aos 15 anos, ser sustentada pelo marido, virar dona de casa e ter cinco filhos me incomodava muito”, diz a cantora que se apaixonou pelo estilo musical irlandês. Stela morou por um ano na casa de um casal com seus três filhos.

Mas há pessoas que enfrentam dificuldades maiores. É o caso do empresário Fernando Mininelli, 29 anos, que escolheu Londres para fazer seu intercâmbio em 2008. Na época, com 22 anos, ele tinha acabado de ser demitido de seu emprego e, com o dinheiro da rescisão contratual, fechou o pacote para ir a Londres. O publicitário conta que foi recebido muito bem por uma comunidade católica que conheceu pela internet e que vivenciou experiências incríveis:-  “conheci culturas diferentes e vivi em um país em que tudo acontece primeiro, além de ter serviços públicos que realmente funcionam”. Mas nem tudo foi tão bom assim, Fernando demorou a se adaptar e teve que viver com pouco dinheiro: “Tinha um orçamento em que podia gastar dez libras por dia, sendo que £ 8,50 eram para o transporte, os outros £ 1,50 era o que tinha para comer; devido a isso emagreci 12 quilos”, conta o empresário que, apesar dessas dificuldades, não se arrepende em nenhum momento de ter feito o intercâmbio.