Espionagem no futebol: Deslealdade ou inteligência?

Na última segunda feira, dia 20, uma matéria feita pela emissora ESPN Brasil divulgou que o Grêmio utilizou formas de espionagem o ano todo para ter informações secretas sobre os clubes que enfrentaria no Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores. Foram utilizados drones e câmeras escondidas em prédios, árvores e muros para a espionagem.

A reportagem, assinada pela repórter Gabriela Moreira, investigou a ação do espião contratado pelo Grêmio durante cinco meses. Na última semana, durante um treino fechado do Lanús, na véspera da final da Libertadores, foi feito um flagrante do homem contratado levantando voo com um drone, que seria utilizado para fazer filmagens do Lanús, e depois enviado à comissão técnica do Grêmio.

Também foi apurado pela equipe da emissora que o homem tinha passagens, hotel e carros alugados pagos pela diretoria do clube. Segundo a reportagem, tudo era feito com o consentimento da comissão técnica e dos jogadores, que assistiam e analisavam as imagens feitas de jogadas ensaiadas, escalações e esquemas táticos, para se prepararem para os jogos.

Após o último treino antes do primeiro jogo da final, o técnico Renato Portaluppi comentou o caso. Ele confirmou que o clube contratou uma pessoa para conseguir informações dos adversários da temporada e concluiu com a frase “o mundo é dos espertos”.

Modelo do drone usado pelo espião gremista

O episódio teve grande repercussão na mídia brasileira, e levantou o debate de a equipe do Grêmio estar sendo antiética por espionar os adversários, ou estar usando uma tática pertinente e eficaz que pode ajudá-lo em seus objetivos. É importante ponderar que não existe nenhum tipo de legislação no esporte contra a espionagem, muito menos com o uso de drones, que são artefatos de tecnologia recentes.

Para Gustavo Iglezias, aluno do curso de Jornalismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, a campanha brilhante poderá ficar marcada por conta da espionagem. “Eu acho que existe espionagem no futebol, porém de uma maneira mais discreta. Os drones são muito visíveis. O episódio do drone pode manchar um pouco a boa campanha feita durante toda a competição, no caso de título”. Ele também comentou sobre a discussão na mídia e nas redes sócias sobre punir ou não a equipe gremista. “Penso que não haverá nenhum tipo de punição pois não há nenhuma lei que proíba tal atividade”.

Não dispenso por nada uma boa resenha sobre esportes. Sou fã de todos eles, mas amo o futebol. Ver uma torcida gritando gol é a minha maior emoção!