Entardecer em diferentes cantos

A mudança do dia para a noite é marcada pela beleza do pôr do sol. Independente do lugar, o entardecer é um momento pouco valorizado, pois não há tempo para apreciá-lo. Mas ele pode transmitir energias necessárias para relaxar em meio a tanta correria.

Em todas as minhas experiências que parei para admirar a mudança no céu, encantei-me e sinto que precisamos nos encantar mais. Em minhas viagens, pude observar o entardecer em diferentes locais. E é isso que quero compartilhar com os mackenzistas apaixonados por momentos. Assim como eu.

Bruxelas, Bélgica 

          

Estava sentada na Grand-Place, a praça central de Bruxelas, que é considerada a praça mais linda do mundo. Em 1998, a praça foi nomeada patrimônio mundial pela UNESCO. No local, encontra-se a Câmera Municipal de Bruxelas e a Casa do Rei. Além de muitas lojinhas do famoso e delicioso chocolate belga. Seja em waffles, trufas, barras ou sorvetes. Peguei uma pizza e fiquei comendo enquanto olhava os turistas maravilhados com a beleza do lugar. Era muito engraçado vê-los tentando tirar fotos com a praça inteira, difícil pelo tamanho do local. Lembro que também fiquei maravilhada ao entrar no local, que tem um acesso confuso.

A arquitetura era tipicamente belga mas a fachada dos edifícios tinha um tom dourado. E ao entardecer, o reflexo tornava tudo de uma cor diferente, mais bonita. A verdade é que a praça era uma mistura de cores, línguas, pessoas e culturas. Ao final da tarde, a praça ficou com uma cor diferente do início. O tom dourado estava mais em foco e todos os prédios brilhavam naturalmente. Era um ambiente tão bonito para os olhos que o rosado do céu foi um acabamento para um cenário perfeito.

Paris, França

                 

Como ir a Paris e não admirar a Torre Eiffel? A Torre é um ícone na França e é o prédio mais alto de Paris. É o monumento pago mais visitado do mundo, sendo que você pode subir tanto de escada como de elevador. Eu preferi ir de escada, mas por teimosia porque não foi fácil. Lembro-me que fiquei sentada em frente a Torre por duas horas, esperando o entardecer. O Campo de Marte fica logo aos pés da Torre e muitos preferem esperar o pôr do sol ali. São muitas as pessoas que levam vinho, queijo e Champagne para sentar-se na grama e finalizar o dia. No meu caso, fui para um local que poderia ver a Torre inteira.

No espaço que fiquei, encontrei uma variedade de artistas de rua. Alguns cantavam, outros dançavam e outros tocavam a tão famosa La vie en rose. Era uma mistura de arte, o que tornava tudo mais agradável e único. O sol se pôs devagar naquele dia. Ainda bem. Aproveitei cada minuto, com o celular desligado e provando o tão famoso crepe francês. Quando o céu escureceu, o ambiente mudou. Todos se voltaram para a frente da Torre e eu corri para pegar um espaço especial. Pontualmente, ás dez horas, a Torre começou a piscar. E a comoção foi geral, todos fizeram um som de surpresa, o que foi engraçado por ser uma reação automática. A Torre brilhou por mais alguns minutos e depois o local começou a esvaziar. Saí também, com lágrimas nos olhos. Não queria que aquele momento acabasse.

Gostou desses momentos? Inspire-se! E se você já tem alguma experiência no exterior que você considere marcante, fale com a Editoria Internacional. Estamos curiosos para saber o que os nossos mackenzistas já viveram mundo afora.

Camila Oliveira
Paulistana de berço mas o coração é um pouco de cada lugar que passei. Sou uma mistura de momentos, experiências e tenho muita história para contar. "Life isn't about waiting for the storm to pass. It's about learning to dance in the rain".