E-sports expandem seu público devido à pandemia de Covid-19

Por Gabriel Modesto

Os esportes eletrônicos ganharam bastante destaque durante o período de quarentena, quando fãs de outros esportes e atletas frustrados com o cancelamento de campeonatos ao redor do mundo se voltaram para esse cenário de disputas profissionais de videogames. Os e-sports vêm ganhando popularidade desde o início da década, através dos simuladores de futebol, basquete, automobilismo e até outros diversos estilos de jogos on-line.

Com a quarentena, o mercado tem a oportunidade de promover e expandir sua comunidade, já que se transformou quase que na única opção de entretenimento disponível para torcedores. O corinthiano Lucca Bonamichi, 18 anos, conta sua experiência: “Sempre gostei de videogame, mas nunca fui de acompanhar os campeonatos. Depois que foram cancelados os jogos dos esportes que eu acompanhava, passei a assistir dos games que eu jogo”. 

Diretamente do conforto de sua casa você pode ter acesso a torneios profissionais de jogos eletrônicos através de plataformas de streaming: Twitch, Facebook, Mixer, YouTube Gaming e alguns canais de TV como Fox Sports e ESPN. O estudante de publicidade Raul Jordão, 19 anos, conta que: “Com a pandemia e consequentemente a quarentena eu acabei consumindo muito mais [E-sports] por conta de ter mais tempo livre, nas minhas férias da faculdade, do ano passado, eu passei todo o período jogando vídeo game e acompanhando streaming de jogos”. 

Segundo pesquisas de mercado da empresa Stream Hatchet, as plataformas de streaming registraram um aumento de 43% na audiência em março de 2020 em relação à primeira semana deste ano. Outra melhoria foi constatada pela empresa Superdata, com crescimento de 60% na audiência da Twitch no mês de março e mais de 1,3 milhão de horas assistidas em relação ao ano passado. 

Por ter a capacidade de transportar seus jogadores para outras realidades, os esportes eletrônicos contribuíram para o esquecimento de alguns problemas enfrentados no dia a dia. Isabela Haibara de Oliveira, 22 anos, destacou um papel muito importante dos games para ela: “Um dos motivos que eu jogo é que acaba sendo um escape para não pensar na situação atual, eu estou literalmente em isolamento faz um ano ”. 

Os E-sports aproveitaram a pandemia para se consolidar como uma opção de entretenimento, esporte e cultura, mas esse mercado gamer também tem usado esse holofote para mostrar seu alcance social e ajudar quem está precisando. Times, ligas, jogadores e influenciadores têm feito arrecadações para doação. Aqui no Brasil, por exemplo, o streamer Gustavo “Baiano” Gomes conseguiu arrecadar pouco mais de R$125 mil durante a transmissão do CBolão (torneio que faz referência ao CBLoL, o Campeonato brasileiro de League of Legends). Tudo que foi arrecadado foi destinado ao combate da Covid- 19.