Doce milonga

Alma apaixonada O violino anuncia…É uma eterna briga. Não existe vencedores ou perdedores. São apenas dois seres que duelam com ardor como se o amanhã não existisse. Colocam sua intensidade vital em cada passo. A respiração é compassada, o mundo a volta precisa ser esquecido. É conexão, é sentir o que o outro quer passar. Quem dança Tango sente o poder passando pelo seu corpo, a vitória eminente que está prestes a nascer.

O Tango tem sabores amargo e doce. Quem se apaixona por este, sabe que a partir daquele momento é para sempre essa paixão. Ao ouvir um acorde já dança mentalmente, seu corpo tenta se controlar para não sair dançando. É como ter uma força sobrenatural atuando em si. Só quem é “tangueiro” conhece bem essa sensação. E é um mero refém, se deixa entregar por inteiro a essa dança que encanta.

Tem seu ar sedutor, que te embala e leva consigo. É como uma troca de olhar entre dois apaixonados. Não existe razão, só emoção. As energias fluem ao redor, uma energia invisível, mas que você pode quase vê-la. Não tem jeito é algo quase indescritível. É preciso vivenciar tudo isso para poder saber o sentido destas simples palavras.

É amor, ódio, tristeza, é uma das danças mais ricas. Se um dia estiver de bobeira toma cuidado, porque Tango tem a alma de um malandro que lhe prepara uma emboscada virando a esquina. E se você cair nesta, já é caso perdido. Você se transforma e sua alma viaja. Já é um jogo perdido.