Toda a diversidade do jornalismo – Exposições de Jornalistas

O jornalismo é, antes de tudo e sobretudo, a prática diária da inteligência e o exercício cotidiano do caráter. – Cláudio Abramo

É a carreira daquele que ama buscar, investigar, transmitir notícias e contar histórias. Tem áreas para todos os gostos, desde investigar casos de corrupção, até cobrir eventos de moda. Quem é jornalista sabe que, apesar do senso comum, não é uma carreira fácil. Informar – sempre com fatos – e expor a verdade não é algo simples de fazer, e muito menos correr atrás de fontes.

Por isso, nós da ETC&Tal, inspirados no Dia do Jornalista (07/04), trouxemos alguns eventos e criações de jornalistas para mostrar um pouco sobre jornalistas que, do seu próprio jeito, informam, buscam, e transmitem o que deve ser transmitido ao público. Vem conferir essa lista de exposições incríveis para comemorar o Dia do Jornalista!

Exposição “Tensão” – discute tabus sociais e de gênero

O MIS – Museu da Imagem e do Som exibe a primeira individual de Erwin Olaf no Brasil. “Tensão” ocupa o primeiro andar do museu. Com 22 fotos e sete videoinstalações produzidas pelo artista holandês nos últimos quinze anos.

Olaf encontra,  sua própria vida, inspiração para muitas de suas séries fotográficas. Como, por exemplo, em seu relacionamento com sua mãe (Separation, 2003). Na noção de felicidade doméstica nas séries Rain (2004), Hope (2005) e Grief (2007), onde explorou e desafiou a noção de felicidade doméstica. Dusk (2009) e Dawn (2010) onde ele mostra como a cultura pode se tornar repressora, apesar da aparência bonita.

The Dancing School (2004) - Erwin Olaf
The Dancing School (2004) de Erwin Olaf

Erwin Olaf nasceu em Hilversum, na Holanda, e estudou Jornalismo na Utrecht School. Surgiu pela primeira vez na cena artística internacional em 1988. Ele é um artista que trabalha no campo da fotografia, videoinstalações e esculturas. E também já ganhou diversos prêmios. Fotógrafo do Ano no International Color Awards (2006), Artista do Ano da Holanda de 2007 (da revista Kunstbeeld), Dutch Johannes Vermeer Prize em 2011 e o Lucie Award (EUA) pelo conjunto de sua obra. Olaf também ganhou diversos Leões de Prata, no Festival Publicitário de Cannes, por sua fotografia comercial.

A obra do artista busca reconhecer traços essenciais da vida contemporânea. Como o isolamento e a solidão. As barreiras de comunicação que separam os indivíduos. A busca frustrada por prazer. O embate de desejos. A velocidade da passagem do tempo. E os padrões impostos pela publicidade e pela indústria da moda.

 

A mostra fica em cartaz até o dia 8 de abril, de terça a sábado, das 12h às 20h, e aos domingos e feriados, das 11h às 19h.
O ingresso custa R$ 10, com direito à meia-entrada.

 

Evento “Jornalismo em Quadrinhos”

Muito mais que só uma exposição. 40 telas dão vida às paredes da Matilha Cultural durante a exposição “Jornalismo em Quadrinhos”, inédita no Brasil. A mostra, que reúne reportagens, entrevistas e perfis em quadrinhos, traz trabalhos de Alexandre De Maio, co-autor da reportagem Meninas em jogo (2014); Carolina Ito, da Revista TPM; Helô D’Angelo, da CULT, e Robson Vilalba, autor do livro Notas de um tempo silenciado (2015).

“Noticiabilidade” – Carol Ito autora do blog de quadrinhos autorais Salsicha em Conserva.

Na seleção, há 40 obras jornalísticas dos quatro autores. Tanto em formato impresso quanto digital – um notebook permite que os visitantes naveguem por matérias em quadrinhos online. Diversos prints de jornais do século XV, também estampam as paredes do lugar, para provar que o jornalismo em quadrinhos já existia, mesmo naquela época.

O estudante de jornalismo do Mackenzie, Gustavo Carramenha, nos conta que “Já conhecia o Alexandre De Maio pelo seu quadrinho ‘Os inimigos não mandam flores’ (2006)”. Porém, esse foi seu único contato com esse autor. Mas que, com essa exposição conseguiria conhecer mais sobre seu trabalho.

Quadrinhos e jornalismo é uma combinação um pouco excêntrica para várias pessoas, mas Gustavo tem uma outra visão sobre o assunto. “Gostei muito da iniciativa da exposição. Os quadrinhos são um tipo de arte que parecem muito divulgadas porém poucas pessoas se aprofundam nesse universo, acredito que exposições como essas possam ser uma porta de entrada para muitas pessoas no mundo das HQ’s. Principalmente de títulos menos conhecido porem com um estilo e valor cultural imenso. Afinal HQ’s são um tipo de arte, de expressão, e achei muito importante trazer isso à tona.”

Além disso tudo, o evento terá, no dia 06 de abril, um debate sobre Jornalismo em Quadrinhos. Com os autores das matérias em quadrinhos que estão na mostra.

 

Ficará em cartaz até o dia 8 de abrilDe terça a domingo, das 12h às 21h.
entrada é gratuita.

 

“Gosto de jornalismo por ser uma profissão muito diversificada. Você pode gostar de diversas coisas e ter uma paixão que, aparentemente, não tem nada a ver com jornalismo, mas depois você descobre que tem, porque você pode falar sobre aquele assunto, pode ser crítico do assunto e fazer matérias sobre ele.” – Gustavo Carramenha

Sobre o curso seus pontos preferidos são o de “aprender de tudo, porque no final é preciso saber um pouco sobre tudo para escrever uma boa matéria.” E para encerrar, Gustavo nos conta o que o fez se tornar jornalista. “Foi minha vontade de falar sobre cultura, principalmente cinema. E penso que, com o jornalismo, vou conseguir realizar isso”.

 

Que jornalista não ama ler, não é mesmo? Vem dar uma olhada nessa resenha do livro da Amanda Lovelace!

Larissa Iole de Freitas

Paulistana propensa a sonhar demais em meio a realidade. Apaixonada por histórias novas, café(s), bons livros e uma boa playlist que acompanhe isso tudo.