Diferentes etapas para uma criação

O poder da nossa imaginação é responsável para criações autênticas a partir de uma série de ideias pelo caminho

Neste ano, em Teoria da Arquitetura I, do curso de Arquitetura e Urbanismo- Mackenzie do segundo semestre, o Prof. Ms. Antônio A. Fabiano Junior apresentou para a sala um vídeo que mostra diversas ideias diferentes durante o processo de uma criação do artista Pablo Picasso.

Confira abaixo:

 

É possível observar como o artista modificou o desenho bruscamente ao longo do tempo. Isso é explicado a partir do propósito que, as vezes no processo de produção artística você não sabe o que está fazendo e principalmente nem como tudo aquilo irá terminar. Possivelmente esse foi o caso ocorrido no vídeo,  no qual o Picasso colocou tudo que passava pela sua cabeça momentaneamente.

Primeiramente, segundo o ilustrador “Christoph Niemann”,da série “Abstract”, criar arte é ficar olhando para o papel em branco e ter confiança que em algum momento louco aquilo irá acontecer. A criação não depende de algo fácil, mas se refere aquilo que cada ideia exige uma quantidade específica de informação, às vezes, muitos detalhes para o realismo e , às vezes, apenas uma linha, para um pixel. O que importa é criar a chance de algo acontecer. Desenhar, tomar decisões e esperar pelo melhor.

Documentário da Netflix sobre importantes artistas contemporâneos Ilustrador Christoph Niemann

Confira abaixo algumas de suas produções:

Criação para capa da The New Yorker    

Em segundo lugar, de acordo com o arquiteto “Roberto Loeb” , uma boa criação é como um lápis que precisa ser apontado. Primeiro se tem que tirar as lascas para se ter o pretendido. E isso pode se relacionar a criações dos distintos tipos de arte, entre esses, música, dança, pintura,escultura, teatro, literatura, cinema, fotografia.

  

Portanto, não existe uma regra para a criação, ela simplesmente acontece, em um certo lugar, dia, hora, depois de muitas ou pocas tentativas. O importante é ter um resultado que agrade à nós mesmos e/ou ao público desejado.

 

Texto por: Bettina Mendieta Reis