estudos

Correndo a favor dos estudos

“A única coisa que eu consigo pensar em fazer um dia antes da OAB é correr. Para relaxar e parar de pensar na prova.” Diz Daniele Dias, 22 anos, estudante do nono semestre de Direito, em meio a um período de grande stress.

A mackenzista conta que a corrida está presente em sua vida desde a infância. “Eu corro desde os 9 anos. Comecei a correr por causa do meu pai. Quando meu pai corria, eu e minha irmã iamos contando no relógio. Na época era uma brincadeira, depois começamos a levar a sério.”

Após participar da São Silvestrinha (modalidade infantil de corrida) e conquistado medalha de terceiro lugar, a jovem continuou com a atividade física e hoje em dia corre 10km. Para ela, o incentivo ao esporte é algo que deve partir de casa, e ainda acrescenta: “Quando eu tiver filho, vai nascer fazendo esporte!”

Além da influência da atividade, Daniele conta que o Mackenzie a fez mudar em muitos aspectos. “Eu penso em quatro anos atrás e vejo que tudo mudou… Eu coloco o Mackenzie e tudo muda.”

Com 100% de bolsa, a conquista de uma faculdade particular significa muito para a mackenzista. “Quando eu prestei o vestibular, prestei só para testar mesmo. Não estava contando que ia dar certo. Não tinha noção de quanto era a mensalidade, de como era a forma de pagamento. Eu era meio desligada e não tinha condições financeiras para pagar.”

A bolsa filantrópica permitiu que a estudante conquistasse amizades novas, oportunidade no mercado de trabalho e até casa nova. Quando começou a cursar a universidade, a mobilidade pela cidade não estava fácil. O percurso diário de Grajaú até o Centro não funcionava. A solução que a jovem encontrou foi dividir uma república na rua do Mackenzie com mais cinco meninas.

Para ela, todos deveriam ter a mesma oportunidade de estudos. Como veio de escola pública, ela reconhece as dificuldades que um aluno pode passar para chegar onde ela está, mas o importante é não desistir. “Queria poder falar para as pessoas de escola pública que elas também vão conseguir. Eu não podia, mas tentei, dei um jeito, consegui e até hoje está dando certo.”

Gosotou? Então veja outras histórias e outros perfis

 

Escrito por Beatriz Lia